sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Arrumando as Prateleiras






Tenho umas prateleiras sob as escadas que levam ao segundo andar da casa, onde guardo meus livros e discos de vinil. Há muito tempo vinha planejando arrumá-las e limpá-las, mas com tanto a ser feito em uma casa, mais o meu trabalho com as aulas, sempre acabava 'empurrando a tarefa com a barriga.' 

Mas finalmente, tomei algumas horas para colocar tudo em ordem. As prateleiras abarrotadas de livros que eu puxava e depois, não recolocava no lugar certo por falta de tempo. Discos de vinil cujas capas empoeiradas cheiravam a bolor. Tirei tudo, tudo do lugar, e comecei a árdua (?) tarefa... 

Foi como reencontrar velhos amigos: lá estavam livros que modificaram minha vida e ajudaram a formar o meu caráter, como "Ilusões", de Richard Bach, e "O Profeta", de Khalil Gibran. Maravilhoso e mágico, reler trechos de "O Convite", de Oriah Mountain-Dreamer. Uma delícia, rever Lia Luft, as incríveis memórias de Louis Bourne, os poemas de Cecília Meireles e Fernando pessoa. 

Adorei perder-me novamente nas "Memórias, Sonhos e Reflexões" de Jung. Aproveitei para checar o significado de meus sonhos, nos muitos livros que tenho sobre o assunto, e senti arrepios ao reler meus muitos contos de terror. 

Peguei uma receitinha para o jantar com Sônia Hirsch e reaprendi sobre vinhos relendo trechos dos três livros que comprei quando montamos a nossa adeguinha. 

Separei romances que quero reler um dia. Tirei o pó de cada livro e de cada disco - oh, meu Deus, preciosidades, como o primeiro LP dos Beatles! Relembrei minha adolescência com as coletâneas de músicas de discoteca e minha coleção de discos do Queen, Elton John, Rod Stewart, Supertramp, Barbra Streisand, Guilherme Arantes, Maria Betânia... e, lá no fundo da prateleira, achei a caixa com minhas contas, cristais, pedras, fios e miçangas, da época em que eu fazia colares. Pensei em voltar a fazê-los, quem sabe?... 

Quando terminei, já começava a escurecer. Próximo objetivo: o armário de CDs.


5 comentários:

  1. No final das contas, esta arrumação valeu a pena, não é mesmo? Com certeza, no armário de CDs vai ser outro bom momento.
    Bom final de semana Ana, beijos,
    Valéria

    ResponderExcluir
  2. é bom arrumar! velhas estórias vem à tona! velhas lembranças e a gente sorri perdida em memórias!

    ResponderExcluir
  3. Bom rever "velhos amigos". Deliciosa, sua crônica! Coincidentemente estive revirando (não exatamente organizando ou limpando) meus antigos livros e via "Longe é um lugar que não existe" e "Fernão Campelo Gaivota" e também um livro de parábolas de Gibran Kahlil Gibran...

    ResponderExcluir
  4. É muito bom rever "velhos amigos". Deliciosa crônica. Coincidentemente remexi meus livros recentemente (não exatamente arrumando ou limpando) e me deparei com "Longe é um lugar que não existe" e "Fernão Campelo Gaivota" além de um livro de parábolas do mestre Gibran. Mas o que mais me melancolizou, e já tangenciando a coincidência, foi "Admirável Mundo Novo" que lí a primeira vez quando tinha menos de vinte anos...

    ResponderExcluir
  5. rsrs, tenho nada disso, passo tudo, rsrs...li até aqui e adorei todos, vou la comentar o último bjuuu

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Até um Dia!

Olá, pessoal! Por motivos pessoais, estarei fora da rede durante alguns dias. Volto em breve! Abraços! ...