quarta-feira, 15 de agosto de 2012

A Pedra

foto: da autora, imagem virtual de um computador da cervejaria Bohemia





A Pedra

Sentado na pedra, ele via
O rio que sempre passava:
"Sempre as mesmas águas,
Sempre as mesmas águas..."

O sol se erguia e se punha
Ante seus olhos cansados.
calado, ele permanecia
Mas o rio sempre corria.

Seres que vinham a margem
Chegados de suas viagens
por horas, ou talvez por vidas
Permaneciam ao seu lado.

(Suas vidas se tocavam
Como o céu e as nuvens, que ao longe
Parecem compor um só quadro
Mas de perto, um é vapor
E o outro, azul infinito,
Sendo que o azul nem existe).

Súbito, o rio chamava
Para si suas criaturas
E elas seguiam viagem
Mas ele permanecia.

E de dentro do rio, quem via,
Achava que ele chegava,
Chegava, mas logo partia
Pois a pedra só passava.

2 comentários:

  1. Olá amiga!! A minha visita hoje é para te fazer um convite. Participo do blog Educadores multiplicadores e todos os blogs que participam ganham uma divulgação das nossas postagens como uma linda propagando. Durante o mês o nosso blog fica em evidencia concorrendo o selo caneta de ouro. Para isso devo indicar alguns seguidores. Por isso venho te convidar a conhecer esse blog, o link e http://www.educadoresmultiplicadores.com.br/ se você gostar participe e diga que está seguindo por indicação da professora Lourdes Duarte. Ficarei muito grata. Abraços uma linda noite.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Até um Dia!

Olá, pessoal! Por motivos pessoais, estarei fora da rede durante alguns dias. Volto em breve! Abraços! ...