segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Diante de um Olhar Vazio







Diante de Um Olhar Vazio


Diante de um olhar vazio,
Perdido nas ondas agitadas de um copo,
A vida passa, e não retorna.

Cada momento sendo bebido, tragado,
Virando ressaca
Dentro do teu olhar frouxo e dormente...

Olha, que a vida passa,
Ela passa, e não retorna
Para buscar quem não foi com ela!...
Olha, que a vida morre,
E ela se esconde, de repente,
N'algum buraco de terra,
Negro, frio e indigente!...

E mesmo que, ao reabrir dos olhos,
Tu lá estejas novamente,

A vida que passou mornamente
Não voltará atrás; é vida ida,
Perdida, largada e escorrida
Pelos esgotos da indiferença...

7 comentários:

  1. Que profundo seu poema Ana...faz pensar em não desperdiçarmos as nossas vidas, porque o tempo que passa, não volta...e se não for bem vivido, é tempo perdido...
    Boa semana, beijos
    Valéria

    ResponderExcluir
  2. é... vida que passou pelo fundo do copo... triste...bjuuu

    ResponderExcluir
  3. Excelente e verdadeiro, minha amiga! - Gostei muito! - Abração

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde, Ana. Muito bom! A vida passa e não percebemos os seus segundos cruciais e vamos deixando de viver o que poderíamos não agindo, estáticos e sem vida.
    Quando será o despertar de alguém assim?
    Quem sabe, o outro dia que parece longe está tão distante de nós e não enxergamos?
    Assim, vida vira morte, e morte aprofunda o espírito, daí as consequências virão e lamentaremos pelo nosso ócio.
    Beijos na alma e fique na paz!

    ResponderExcluir
  5. Ana,é verdade; cada momento é unico e não volta mais!Muito linda sua poesia!bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  6. Olá, parabéns pelo seu blog!
    Se puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
  7. um vicio que vai esvaziando a pessoa , aliás como todos os muitos( vicios) e a pessoa nao se da conta que a vida gasta .... . !! exelente texto !! olguinha

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Ah, os Italianos! - Parte II

Pôr do sol em Florença... jamais esquecerei. Continuação do texto anterior LIXO – Quando fui jogar o lixo fora pela pri...