segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Ficarão Meus Poemas





Ficarão meus poemas
Espalhados na rede
Nas placas de memórias
Do meu computador...

Centenas de histórias
Algumas, risíveis,
E outras tão tristes,
Escritas na dor...

Ficarão meus poemas
Em muitos cadernos
E folhas esparsas
Datilografadas...

Escritos em livros
Como anotações
Ou capas de discos
E papel de pão...

Ficarão meus poemas
No meio da estrada...
Palavras rasgadas
Que o vento levou.

E um dia, esquecidos,
Amarelecidos
Serão deletados
Pra sempre varridos!

2 comentários:

  1. tanta delicadeza para com a dor, serve pra aquele que escreve, me identificou.

    ResponderExcluir
  2. Ficarão no infinito! Que bonito, Ana. Amei.Parabéns. Bjs. Danusalmeida.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Não Creem em mim

Não creem em mim quando eu digo Que eu a vi, Bem ali, naquela nuvem Que desliza entre as duas montanhas. Eu te diria,...