quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Dúbia




Seu sim, não;
Seu não, sim;
Talvez, jamais;
Seu nunca, sempre...

Dúbia, dúbia, dúbia,
Deveras mente!

Sorriso amarelo,
No peito, um degelo,
Olhar que observa,
Fixando-se inteiro
Na luz e na treva,
Caminho do meio,
Por cima do muro,
Metade ou inteiro...

Dúbia, dúbia, dúbia...
Se cala, grita,
Se grita, é rouca,
Se sóbria, insana,
Se sã, é louca!

Metaforando,
Observando,
O bote armando,
A língua ardendo
Dentro da boca...

Dúbia, dúbia, dúbia,
Não compreende, 
Ninguém a entende,
Se diz, não sente,
Se sente, cala,
Distorce a fala
Deveras, mente!

5 comentários:

  1. Um belo jogo de palavras Ana,para expressar um sentimento que é real em meio a todas as incertezas.
    O final sintetiza magnificamente.
    Meu terno abraço amiga.

    ResponderExcluir
  2. Ola Ana..amei teu poema...amei o jogo de palavras,..

    bjs

    ResponderExcluir
  3. E aqui cabe o tão decantado "ser ou não ser, eis a questão". Jogou bem com as palavras, beijo de zélia

    ResponderExcluir
  4. Nunca mais eu tinha vindo aqui! Que coisa imperdoável!!! (Risos) Lindo, lindo demais o seu blog.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

VOLTANDO...

Veneza Olá, pessoal! Estive fora por uns dias, realizando um grande e muito antigo sonho: conhecer a Itália! Foi uma experi...