quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Suavidade





As nuvens amanheceram qual um leve glacé cinzento que encobre o céu. Da minha janela, vejo a grama crescida, que precisa ser aparada... percebo a crítica que aparece espontaneamente - "Que precisa ser aparada" - e estraga um momento que poderia ser apenas lindo. 

Um casal de Cambaxirras vasculha o gramado a procura de comida, e para eles, a grama está perfeita assim.

No quintal do vizinho, as cores suaves da cerejeira. Um Bem-te-vi faz um voo rasante sobre a água da piscina. Silêncio.

Nós e nossas inúteis preocupações ... todas elas, sem razão de ser. Pois o que está consumado, é fato; o que se consumará, é destino.

Quisera ser como os pássaros, e receber cada manhã como uma dádiva, sem questionamentos, sem julgamentos e sem ansiedades. Eu às vezes consigo fazê-lo, e quando consigo, é tão bom, e o dia, perfeito! Mesmo que alguma coisa dê errado.

Abro a mão, e solto as rédeas do dia. Hoje.

7 comentários:

  1. Como é extremamente linda a natureza... Gostei do texto. Um bom dia e um lindo fim de semana

    ResponderExcluir
  2. Uauau Cada dia uma casa nova de grande estilo um visual deslumbrante
    pingos de água,juntamente com o mehor,uma aula do saber e melhor ainda
    seguir este pensamento verdadeiro.Devagar Ana vamos evoluindo e crescendo
    somos aprendiz.Bjus\Flor*

    ResponderExcluir
  3. A expressão pode, por vezes, e pelas mais diversificadas razões, ser coartada.
    Mas o pensamento, esse será sempre nosso !

    E tu hoje, Ana, acordaste livre como uma dessas aves que se sentem felizes no teu gramado por aparar.

    Um beijo e continua a soltar todas as rédeas.

    ResponderExcluir
  4. Esse sentimento e obrigação é que costuma nos desanimar (rss). Mas ao iniciarmos a tarefa, tudo vai mudando de cor e nos trazendo prazer. Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Ana
    Quão boa é esta suavidade misturada no crescimento de alma...
    Quão bom é o descompromisso com as coisas deléveis.
    No bom sentido, poderíamos ser como o casal de Cambaxirras.
    Quisera tivéssemos o desprendimento das aves

    ResponderExcluir
  6. Belo, belo... bonitinho isso: "Abro a mão, e solto as rédeas do dia."

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Oi Ana! Lindo poema! Livre , leve e solto com as aves que voam no céu! Adorei!! Bjuss

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Anoitecer Suavemente...

Anoitecer devagarinho, Suavemente, Como uma teia de aranha que voa Pelo ar, Brilhando sem se notar... Anoitecer sem p...