terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Sozinha




Só uma flor sozinha,
Solitária, pequena, efêmera,
Que morreria ao cair do dia.

Só uma flor, mais nada,
Nem ramos de lírios,
Nascida na madrugada...

Morreria ao fim do dia.

Só uma flor, no entanto,
Continha em si o encanto
De uma vida que passava.

Só uma flor, e eu passando
Bebi da gota de chuva
Que sobre ela, brilhava.


*

Um comentário:

  1. Só uma flor, uma única flor é capaz em sua grandeza de fazer a primavera em nossa alma! Ana, obrigada por seu carinho, obrigada por compartilhar a poesia que existe em você. Beijo,__________________LL

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Mandrágora

Teu Nome – raiz de mandrágora Perpassando o meu caminho, Me fazendo tropeçar... Um dragão adormecido Em isolada cave...