A Moça da Foto






A moça da foto hoje está longe,
E aguarda seu amanhecer
Plácida, de olhos bem fechados,
Navega o barco de Caronte.
A moça da foto, em seus dias,
Foi triste e feliz, anã gigante
Que flutuava em fantasia
E que perdia-se no Antes.
A moça da foto teve sonhos,
Alguns felizes, realizados
E a maioria,  esquecidos
Aos pés da vida, amarelados.
A moça da foto teve medos,
Segredos que não revelava
Desgostos muitos, que chorava,
E que a seguiam pela estrada.
A moça da foto perdeu muito,
Tanto, que logo se esquecia,
Ficava à espera de outro dia
Que lhe apagasse suas tristezas.
A moça da foto não foi rica,
Não pertenceu à realeza,
Foi só uma vida como tantas
Que se perdeu na correnteza.
A moça da foto já foi triste,
Mas encontrou a alegria
Nas coisas mais simples do dia,
Na natureza, na beleza.
A moça da foto apaixonou-se
E também desapaixonou-se
Teve no peito um amor lacrado
Que ficou sempre bem guardado.
A moça da foto amava a vida,
A natureza, a dança, o riso,
Via a beleza numa flor
E reaprendeu o que é amor.
A moça da foto envelheceu,
E viu secarem seus jardins
Na agonia e na amargura
Dos corações que não se abriram.





Comentários

  1. A "moça da foto" é exemplo vívido de como saber viver, desfrutando alegrias com gratidão, disseminando ternura e amor, e envelhecer com galhardia, deixando lembranças eternas em nossos corações. Adorei a tua tão doce recordação e poeticidade, Anabailune. Um abraço amigo, com a admiração de sempre.

    ResponderExcluir
  2. Ana,
    Sinto-a aqui, a moça da foto, uma vida igual a tantas outras e, contudo, tão única, tão especial e tão diferente.
    Ela será, de alguma forma, a sua força, a sua inspiração, a sua maneira única de olhar o mundo.
    Sempre que a recordar, as lágrimas teimarão em espreitar nos seus olhos, mas um sorriso nascerá nos seus lábios, porque dela recorda muitos mais momentos, sentimentos, feitos, bons..., do que maus.
    Deixe para lá se outros não a entendem, faça seu luto, mas não esqueça, ela estará sempre presente e o seu (dela) maior desejo é, tenho certeza, de que vc seja feliz, e que aprecie a vida com todas as coisas espetaculares que tem.
    Abraço Grande
    Teresa

    ResponderExcluir
  3. A moça da foto, veio para deixar sementes e uma delas é tu, minha querida!

    Linda e mais que merecida homenagem à sua mãe!
    Que ela esteja na paz e com Deus - amém!

    bj da amiga Lu C.

    ResponderExcluir
  4. Olá Ana, retribuindo a sua amável visita
    eis-me perante um poema que tem tanto de verdade na mensagem como de beleza formal.
    E somos um pouco todas "essas moças". É o percurso de vidas!
    O seu espaço sim é esplêndido!
    Beijinho

    ResponderExcluir

  5. Olá Ana,

    Um poema ditado pelo amor e pela saudade.
    Doce homenagem!
    Que você serene a saudade em seu coração e que a moça da foto possa descansar em paz, eis que cumpriu sua jornada.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Essa "Moça da Foto" deve ter sido, e é, uma pessoa muito maravilhosa e especial na vida dos que a cercavam, uma boa água fresca para os que perambulam pelo deserto escaldante, e uma infinidade de virtudes sublimes e superiores... Adorei sua homenagem, abraços e muita paz e serenidade pra ti....

    R. B. Mattozzo ~> Blog Diretrizes da Vida

    ResponderExcluir
  7. Ana Bailune, muito bonito esse poema homenagem. Deus permita que, como a moça da foto, eu sobreviva o suficiente para deixar lembranças como essas.
    Manoel

    ResponderExcluir
  8. OI ANA!
    QUE HOMENAGEM LINDA, "A MOÇA DA FOTO" É TUA MAMÃE?
    DE ONDE ESTÁ, SORRIU COM AMOR AO VER TUA DELICADEZA AO ESCREVER COISAS TÃO LINDAS SOBRE ELA...
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Doce de Abóbora

VIDA

Sentidos