quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Desculpas...





Ah, as desculpas que inventamos para não fazermos as coisas que precisam ser feitas!... E nem me venha dizendo que sempre faz tudo o que é preciso, pois se você é um ser humano normal, não faz mesmo! Pense bem: quem foi que nunca...

-Cancelou um compromisso porque a cama estava quentinha de manhã?

-Deu uma desculpa esfarrapada para não ir a uma festa, após aceitar o convite, simplesmente porque estava com preguiça ou tinha alguma coisa melhor para fazer?

-Adiou o início de algo importante, como um curso que representaria um progresso profissional, apenas porque teria que acordar uma hora mais cedo, ou chegar em casa duas hora mais tarde?

-Deixou a dieta para segunda feira, e depois, segunda feira que vem, e que vem, e que vem ... e nunca chega? (Ai, eu que o diga!...).

Bem, eu acho que não tem nada de errado em sermos humanos! O problema, é quando a gente começa a sabotar os nossos planos devido à preguiça, pura e simplesmente... uma vez eu li em algum lugar que o nosso maior medo, não é o de fracassar, mas de obter sucesso. Aquilo me fez pensar em todas as vezes em que eu poderia ter sido bem sucedida em alguma coisa, mas não fui forte o suficiente para assumir a responsabilidade. Porque aceitar o sucesso é muito mais difícil que aceitar o fracasso! Bem, isto não parece muito óbvio dito assim, mas é  a mais pura verdade...

Às vezes, aceitar o sucesso pode  significar afastar-se das pessoas que nos dão conforto e que acreditamos serem nossas amigas, mas que na hora em que você sobe um degrauzinho que seja acima delas, elas viram as costas para você e começam a fofocar sobre o quanto você ficou 'besta' de repente. Mas quando você fracassa, ah, lá estarão elas, para dar-lhe todo o apoio naquela hora tão difícil! Eu acho que é por isso que muitas vezes a gente se auto-sabota sem perceber. Além da preguiça, é claro.

Mas somos sempre muito criativos ao inventarmos as nossas desculpas; por exemplo, inventamos histórias mirabolantes sobre coisas urgentemente inadiáveis que nos fazem ter que - aparentemente contritos de dor e de culpa - desistirmos dos nossos compromissos realmente urgentes e inadiáveis. Somos criaturas tão curiosas... fico imaginando um ser de outro planeta, nos assistindo pela TV, e vendo os bastidores de nossas vidas - como as outras pessoas que nos veem não podem enxergar - e sabendo de todos os nossos motivos para inventarmos motivos! Este ET deve ficar um tanto intrigado com nossas reações.

Na verdade, somos todos maus exemplos a serem seguidos. E como seguimos os maus exemplos uns dos outros com afinco!



7 comentários:

  1. Oi Ana!Já fiz muito isso,confesso!...rss...um texto excelente e que nos faz repensar nossas atitudes!Obrigada tb por me visitar lá no Recanto e emprestar sua poesia!bjs,

    ResponderExcluir
  2. tem um pensamento que diz : não sabendo que era impossivel , foi lá e fez. ! realmente o grande problema é acomodação(eu que o diga rs) embora eu tenha vivido uma vida tendo que mudar) em todos os sentidos) eu odeio sair da minha zona de conforto. acho que a rotina é a verdadeira felicidade, embora eu ame conhecer lugares , e ver montanhas e conhecer pessoas. na verdade me obrigo, me obrigo sair de casa, mais reconheço que adoro ficar em casa, e por ser assim, perdi muitas oportunidades na vida, algumas me arrependo muito , por ex não ter aprendido dirigir, hoje não saber, me faz uma falta indescritivel. e tem outros muitos outros, tantas desculpas , tantas saída á francesa, porque tive medos e medos.!!! mais um de seu textos fantásticos. olguinha

    ResponderExcluir
  3. gostei do seu texto. obrigado pela sua visita


    e comentário


    abraço

    ResponderExcluir
  4. Boa inciativa escrever este texto, querida Ana! Parabéns!
    Bjs,

    ResponderExcluir
  5. Quantas verdades,aNA!! Incrível! Lindo texto! beijos praianos,chica

    ResponderExcluir
  6. Concordo com você, todos utilizamos essas desculpas de vez em quando. E costumamos, na verdade, é nos sabotar (rss). Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Há muitos anos atrás, tinha na minha vida alguém que sempre dizia "Estranhos hábitos têm os humanos". Acho que ele se sentia como se fosse de outro planeta...Mas deixe para lá... os hábitos dele ainda eram mais estranhos, ehehehh

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Não Tenho Mais Nada Contigo

Estou escrevendo estas linhas  Só para deixar bem claro: Não tenho mais nada contigo. Teu rosto não faz mais figura...