sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Siga Seus Instintos!




Acostumamo-nos a não ouvir nossos instintos, e te-los como algo místico, supersticioso, incrível. Ridicularizamos aqueles que tem premonições ou sonhos estranhos, e rimos deles quando eles, angustiados, os relatam.

Já narrei aqui o sonho que tive antes da doença de minha mãe; ela me aparecia muito triste, carregando uma bolsa de papelão forrada de plástico grosso, com padrão de rosinhas miúdas, e me dizia que iria viajar e que por isso, não passaria o natal conosco. Eu a abraçava e pedia que ficasse, mas ela apenas repetia que não poderia passar o natal, pois tinha que fazer uma longa viajem. De repente, olhei em seus olhos e ela chorava lágrimas de sangue. Depois disse -me para que não ficássemos tristes, pois o Pai tinha planos para todos nós. Bem, todos sabem o que aconteceu depois.

Não foi a primeira vez que me aconteceram sonhos assim. Também sonhei, antes da morte de meu pai, que um homem desconhecido, acompanhado de um garoto, conversava comigo no quintal de casa, dizendo-me para que eu me preparasse, pois perderia alguém de minha família em breve. Isto foi há quase trinta anos. Meu pai morreu mais ou menos um mês depois daquele sonho.

Também houve ocasiões de eu dizer coisas para as pessoas (não sei de onde vieram) que se confirmaram; engraçado, é que enquanto eu as afirmava, sem base nenhuma, eu mesma me censurava, pensando: "Ana, como você pode dizer uma coisa dessas, assim?!" Mas elas aconteceram exatamente como eu tinha dito.

Precisamos aprender a dar ouvidos aos nossos instintos. Eles não tem nada de sobrenatural, são apenas pequenos - ou grandes avisos, que nos preparam ou ajudam a evitar certas situações. 

No dia em que minha mãe deu entrada no primeiro hospital, ela foi antes até a cantina e comprou uma paçoquinha. Minha irmã, que estava com ela, censurou-a, dizendo: "Mas mãe, você está amarelinha, com problema de vesícula, não pode comer paçoca!" Minha mãe respondeu: "Mas eu vou comer, Estou com vontade, e vou comer." Minha irmã insistiu, dizendo que não ia deixar, mas minha mãe, irritada, bateu o martelo: "EU-VOU-COMER-ESTA-PAÇOCA!" E comeu.

Um dia, já no hospital onde foi operada, ela me olhou e sugeriu: "E se eu fugisse?" E eu: "Como assim, fugir, mãe?Você tem um problema grave, está toda amarela... se a vesícula infeccionar, você pode não ter tempo de ser atendida!" E ela: "Eu já fugi uma vez" (referia-se a uma ocasião em que desistira, já no hospital, de uma cirurgia dentária, apenas desaparecendo do mapa sem avisar a ninguém); "Já estou velha mesmo, se eu morrer, pelo menos eu morro inteira. E se eu morrer na cirurgia?" Senti um arrepio na espinha e uma voz que me dizia: "Leva ela embora daqui!" Mas eu não escutei.

Minha irmã teve essa mesma vontade, um outro dia, e também não obedeceu. Acho que ambas tivemos medo do que poderia acontecer se a levássemos embora, e que a responsabilidade seria toda nossa... nos preocupamos mais com o que pensariam de nós, as consequências para nós, e não para ela.

Aprendi que, da próxima vez que eu tiver um instinto muito forte, irei escutá-lo. Quem sabe, minha mãe ainda poderia estar aqui?

3 comentários:

  1. Importante demais acreditar nos sinais.Você tecla de qual Estado e, como diz, "cidadezinha"?
    Do seu comentário no Cadinho, nem todo santo é mártir. Agora mesmo no final de dezembro, dia 27, celebramos dia de São João Evangelista, que não é mártir. O Batista é o Evangelista não. A própria Virgem Maria não é mártir e nem tão pouco São José. Grato por sua ida ao Cadinho, feliz 2013 e sigamos com fé e amor sempre.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  2. Nossa Ana, teu espiritual é apurado. Não sei se é bom ou ruim, mas acho que devemos seguir o coração quando ele pedir. Eu sempre faço isso e dá certo. Mas somos diferentes nas decisões e percepções, portanto amiga, vamos crer que era hora de partida mesmo, porque a sacola que tua mãe carregava nas mãos (em teu sonho), era para seu novo jardim. Aquele, ETERNO!

    BACIO
    Lu C.

    ResponderExcluir
  3. Penso que com essa experiência toda, DEVES SEGUIR O TEU INSTINTO !

    Um beijo e bom 2013.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Mandrágora

Teu Nome – raiz de mandrágora Perpassando o meu caminho, Me fazendo tropeçar... Um dragão adormecido Em isolada cave...