terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Quando apagas...





Toda vez que tu apagas
Uma palavra de carinho,
Uma voz,
Uma letra,
Num gesto frio e mesquinho,
Apagas também uma trilha,
Apagas de um rosto
Um sorriso, 
Apagas um caminho!...

Não é preciso
Abrir as portas
A quem não gostas,
Melhor trancá-las,
Melhor não deixar
Que o viajante
Pegue a estrada,
E se empenhe 
Num gesto
Indesejado
Que não dará em nada!

E que seja, então deixado
Com esse gosto amargo
E indigesto
De passos apagados,
Sorrisos costurados,
Braços fechados...
Melhor a sinceridade,
Melhor a verdade,
A essa pura e e indiferente
Maldade!

*


7 comentários:

  1. Não se apaga sonhos. Isso seria maldade. Ainda que se saiba que há uma cratera na esquina, desconhece-se a força e a criatividade de quem é capaz de ultrapassá-la sem cair. Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Lamentablemente, siempre hay personas que no lo entienden. Me gusto mucho.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia minha linda !!!!!
    Vc sempre encontra um jeitinho pra expressar seus poemas de forma que conquista quem ler...lindo !
    bjsssssssssssssss

    ResponderExcluir
  4. Lindo demais!!!!

    Feliz fim de semana.
    Beijos e flores.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Exageros

    Assisti a um vídeo na internet no qual uma drag queen montada dava palestras em uma escola para crianças que, aparentemente, t...