segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Centro





Do centro do meu centro
Observo as coisas do mundo,
Penso nas coisas da vida.
Eu às vezes fico triste,
Às vezes, eu fico alegre
E noutras, me surpreendo
(Mas raramente).

Em volta de mim, o dia
Espalha-se em cores frias
Que, aos poucos, se aquecem
Nos ventos da calmaria.
O sol brilha, e ao meio-dia
Encima o topo do meu centro
E logo depois, fenece
Entre o onde e o quando.

A vida tem sido rascante,
Tanto na dor quanto no belo,
E por isso, eu aguardo
Que surja um instante mais brando...
Espero que ela se aquiete
-A vida sempre arremete
Sem avisos, sem licença
Causando muitos abalos...

3 comentários:

  1. Oi Ana querida



    Que seu aguardo por instantes mais brandos seja breve...


    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  2. É..... as coisas da vida geralmente são intensas, fortes, avassaladoras.... Basta aguentar firme e aguardar o 'momento brando", para tirar dele o máximo proveito, tal igual o fizemos com os momentos fortes... Abraços

    R. B. Mattozzo ~> Blog Diretrizes da Vida

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Contas

Eram contas de um colar pesado, Sem brilho, um tanto funesto Que alguém usava em volta do pescoço Como uma forma de p...