segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Centro





Do centro do meu centro
Observo as coisas do mundo,
Penso nas coisas da vida.
Eu às vezes fico triste,
Às vezes, eu fico alegre
E noutras, me surpreendo
(Mas raramente).

Em volta de mim, o dia
Espalha-se em cores frias
Que, aos poucos, se aquecem
Nos ventos da calmaria.
O sol brilha, e ao meio-dia
Encima o topo do meu centro
E logo depois, fenece
Entre o onde e o quando.

A vida tem sido rascante,
Tanto na dor quanto no belo,
E por isso, eu aguardo
Que surja um instante mais brando...
Espero que ela se aquiete
-A vida sempre arremete
Sem avisos, sem licença
Causando muitos abalos...

3 comentários:

  1. Oi Ana querida



    Que seu aguardo por instantes mais brandos seja breve...


    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  2. É..... as coisas da vida geralmente são intensas, fortes, avassaladoras.... Basta aguentar firme e aguardar o 'momento brando", para tirar dele o máximo proveito, tal igual o fizemos com os momentos fortes... Abraços

    R. B. Mattozzo ~> Blog Diretrizes da Vida

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Mandrágora

Teu Nome – raiz de mandrágora Perpassando o meu caminho, Me fazendo tropeçar... Um dragão adormecido Em isolada cave...