segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

CHUVA





Não maldigo as gotas
Melancólicas
Que grudam nos vidros
E escorrem em rios.

Não temo os trovões,
Os ventos fortes,
E as luzes revoltadas
E mortais dos relâmpagos.

Não lamento mais
Quando o céu se abre
E o vento canta ruidoso
Agitando os cabelos da chuva.

Pois em dias tão tristes,
Como esses que vivo
A chuva me cai
Como uma luva.


*

3 comentários:

  1. bonitamente" triste. a chuva tem esa caracteritica, nos deixa meio num lugar que conhecemos e desconhecemos. olguinha

    ResponderExcluir
  2. Quando estamos tristes, o que menos nos assusta ou nos faz lamentar são as tempestades lá de fora. Lindo, Ana! Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Lindo e triste. E muito mais. Mas, essencialmente lindo e triste.

    beijos

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Contas

Eram contas de um colar pesado, Sem brilho, um tanto funesto Que alguém usava em volta do pescoço Como uma forma de p...