quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Não Vês?...




Sinta essa brisa que atravessa o tempo,
Levando com ela cada tentativa
De conter o momento!
Não vês? - Vamos com ela,
E a qualquer momento,
Um rodopio, um desatino,
E ela torna-se tormenta!

Não use as unhas
Para arranhar as almas,
Nem as palavras
Transformem-se em tijolos
Entre ti
E aqueles a quem tu amas - ou não amas?

Não vês as dores que provocas,
Não sentes o quanto, a cada dia,
Trancas os outros em tocas
Separadas umas das outras?

Melhor seria se pudesses
Respirar mais devagar,
E mais profundamente,
Dando espaço para que cresçam
As sementes
Que tentas sufocar!

Não vês?  A vida é um cliché,
A vida é curta, 
A vida é uma só,
A vida é um mistério,
A vida 
É tudo aquilo que ainda não aprendeste!

Inclina a dureza
Do teu pescoço
E veja,
Com um pouco mais de clareza
Aquilo que o teu orgulho
Transforma em tristeza!
Antes que seja tarde,
Enquanto ainda há tempo...






2 comentários:

  1. Que leitura especial fiz agora!
    Cada verso uma verdade reprimida...
    Tão bom viver respirando lentamente cada momento,
    e deixando que as sementes germinem...
    Linda poesia!
    Su

    ResponderExcluir
  2. Quanta verdade nessa beleza de poesia!Um convite a viver a vida com mais leveza!Ana, vc sempre maravilhosa em seus versos!bjs,

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Até um Dia!

Olá, pessoal! Por motivos pessoais, estarei fora da rede durante alguns dias. Volto em breve! Abraços! ...