domingo, 11 de março de 2012

Outros Tempos




Outros tempos me procuram,

Neles, te procuro

Na seda das horas, No escuro...




Espectros de antigas imagens

Risos fugidios pousados

nas ramagens...




De quem era esta pulseira

Que encontrei naquela caixa

Coberta de poeira?




Uma colcha de retalhos,

Assim é a vida...

Alguns cerzidos sem cuidado,

Desprendem-se e perdem-se

No tempo emaranhado...




Um comentário:

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...