terça-feira, 27 de março de 2012

A MAGIA DE ESCREVER







Acho que tenho passado tempo demais escrevendo... mas é uma das coisas que eu mais adoro fazer. 

As palavras e idéias vão surgindo e se entrelaçando... as frases se formam. Adiciono alguma imagem, que eu mesma fotografo e edito, e pronto: nasce mais uma crônica, poema, pensamento ou conto. E quando termino, fico como uma mãe coruja, contemplando meu bebê recém-nascido, mas isso não dura muito, pois logo vem a vontade de escrever mais um.

É um vício: até quando eu ando pela rua, tudo me faz ter mais uma idéia para uma crônica, poema, pensamento... acho que ando obcecada.

Sem contar com os benefícios psicológicos que o ato de escrever traz a todos nós. A gente fica se autoconhecendo (isso, quando não tentamos mascarar sentimentos e mentir para nós mesmos), e até a vida muda. Os relacionamentos, as interações. escrever, para mim, é vital. Gostaria muito de viver disso, nunca mais precisando fazer outra coisa para ganhar a vida.

Acho que viver é uma experiência riquíssima, e não consigo achar tédio na vida. Mesmo nas situações tristes, a gente encontra alguma coisa útil, um aprendizado, uma nova visão. Acordar todos os dias, olhar em volta com os olhos da alma, ao invés de bufar e dizer: "mais uma segunda-feira!", faz parte da magia de viver.

É claro, às vezes a coisa desanda, eu perco o prumo. Mas o importante, é retornar ao ponto de equilíbrio, e tenho conseguido fazer isso. Pois escrever me auxilia no caminho de volta. Como eu escrevi em um poema há muitos anos, "Perdida de Mim:"

"Perdida de mim eu andei tanto tempo/que já nem me lembro por onde que andei/Mas sei que voltei mais dona de mim/ Eu não me sabia, mas hoje, eu me sei.../ ...E caso algum dia eu me perca outra vez/ Talvez seja fácil me reencontrar/ Tracei meu caminho, uma trilha se fez/Hoje posso ir, pois sei como voltar."

Escrever deu-me esta certeza. Agradeço todos os dias porque eu posso escrever. Agradeço também a todos que tem a paciência de ler meus escritos, do fundo do meu coração. Fico sempre feliz quando fico sabendo que alguém aproveitou alguma coisa deles, sempre!



11 comentários:

  1. Querida Ana, escrever é tudo isso que você tão brilhantemente descreveu. Assim sinto, também, o ato e a emoção de escrever... Na qualidade de sua leitora, só tenho que agradecer o agradabilíssimo prazer e o privilégio que é poder ler o que você escreve com a sensível pena do seu coração. Um grande abraço, com carinho e saudades. Ana Ferreira.

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana, já estava saindo quando recebi seu link, obrigada!
    Eu também gosto muito de escrever e realmente é muito bom.
    Gosto de criar cartões, mexer com web design e fazer tantas outras coisas na net, só que não dá tempo pra tudo infelismente rsss
    Ultimamente andei tomando umas decisões, resolvi também viver a vida no sentido mais amplo dela, faço aulas de dança, ginástica, e outras atividades que me dão prazer.
    Não é fácil conciliar tudo, aí vou dividindo um pouquinho aqui outro ali pra não ficar focada só em algumas coisas e deixar outras de lado.
    Posto no Vale do Sol só uma vez na semana e nos outros 2 blogs um pouquinho mais, de acordo com meu tempo.
    Ás vezes também me perco de mim e dá um trabalhinho voltar rsss acho que porque me esqueço e me envolvo com energias que não tem a ver comigo e esse é o tema de minha próxima postagem da semana que vem no Vale, mas vamos caminhando, aprendendo, compartilhando e isso que é bom.
    Não posso estar nos blogs amigos todos os dias, mas sempre que possível dou uma escapadinha deixar o meu carinho e minhas impressões.
    Beijos na alma!

    ResponderExcluir
  3. Ana, sempre ficamos chateados quando uma porta se fecha para nós, mas logo percebemos que outras se abrem. Passeando pelo seu blog - que está lindo - vejo que você está mais solta, escrevendo bastante, encontrando seu ponto de equilíbrio. Você faz falta no RL, mas aqui está mais segura de si, dona do seu pedaço. Te desejo muita felicidade neste canto maravilhoso e acolhedor. E espero, sinceramente, que logo possa voltar. bjs da Beatriz

    ResponderExcluir
  4. Linda Noite Ana-Sempre penso e tenho até um poema em livro sobre o Mundo Mágico
    das letras.Com elas ,amamos,rodamos o Mundo e sempre levamos uma mensagem
    de alegria,mostramos sempre o caminho das flores e exaltamos o poder da Essencia.
    Parabéns pela crônica,assim sou como você.Sucesso,sempre.Bjus\Flor*

    ResponderExcluir
  5. IRNUS (Amaury da Silva Rego)
    Sinto-me alegre em saber que você é capaz de CONSTRUIR mensagens tão linda. Continuarei afirmando que você tem a arte em seu DNA
    No final de minha viagem consegui descobrir o MEU DEUS: São as pessoas construtivas, que são raras. Você é CONSTRUTIVA. Não preciso dizer mais.
    O amigo IRNUS.

    ResponderExcluir
  6. "Perdida de mim eu andei tanto tempo/que já nem me lembro por onde que andei/Mas sei que voltei mais dona de mim/ Eu não me sabia, mas hoje, eu me sei.../ ...E caso algum dia eu me perca outra vez/ Talvez seja fácil me reencontrar/ Tracei meu caminho, uma trilha se fez/Hoje posso ir, pois sei como voltar."

    CARACA MALUCO! ISSO TÁ BUNITO DE MONTÃO. QUER VENDER?

    ResponderExcluir
  7. Bom dia Ana. Por indicação sua naquela entrevista, deixaste um presente para mim: me indicou, entre outros, Celso Panza. Tenho lido ele regularmente. O amigo, realmente é sensacional. Em uma de suas crônicas, ele explica o porquê de escrever no RL: "Recanto. Sair ou Ficar?". Tenho lido também Carlos da Costa, de Manaus, se não o conhece, te indico. Bem, mudando de assunto. O ato de escrever para mim é automático e necessário também. Comecei por volta de meus oito anos, a ler e a escrever. É sem dúvida um dom escrever, porém, escrever bem - resultado do exercício da leitura. Que me faz falta encontrar bons textos entre as oito páginas que vão caindo naquele espaço? Lógico. Se existem pessoas que lá continuam e me acrescentam muito? Idem. Entendo muito seu prazer e necessidade. Sua crônica esclarece isso com muita naturalidade. Digo e repito que lá aprendi muito com você. Não tão somente pelo que li, mas por tua postura autêntica e imparcial. Parabenizo-te não apenas pela escritora-amadora-mais-desconhecida-internacionalmente (risos ou hehehe), mas pela pessoa em si que te mostrastes ser. Desejo-lhe paz, momentos de paz. Beijão na Latifa! Seu leitor, Marcelo. Um bom dia.

    ResponderExcluir
  8. teus escritos sempre ensinam , trazem algo especial para alguem no exato momento que se está precisando... (senti isso, vivi isso em teu texto desilusão) a casa fala , tambem me trouxe tantas lembranças tantas, teus textos sao fascinantes, mais que isso são (necessários). por isso sua importancia no recanto é insubstituivel, dava oportunidade a muito mais pessoas de estar em contato com tanta dedicação, inspiração,aprendizado. voce é professora de todos nós que amamos seus escritos, faz muita falta .. vamos ficando (em falta).. Ana, amei seu (perdida em mim) e só me resta aplaudi-la intensamente de pé ..... boa noite menina. bom final de semana. olguinha

    ResponderExcluir
  9. e você Ana tem muma facilidade incrivel de registrar o cotidino e isso é maravilhoso. Eu também muitas vezes acho que a poesia me salva! abraços meus

    ResponderExcluir
  10. ACHO QUE ANDO OBCECADA..."não faz mal, obcecação também é razão, não é paranóia nesse caso, siga seu coração....escreva, você pode!!!!Abraço. Celso

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...