quinta-feira, 15 de março de 2012

Proporção





Quantas vezes ocupamos nossas mentes com coisas absolutamente sem importância? Eu mesma consigo pensar em várias ocasiões nas quais fiz isto! Às vezes, nós perdemos a proporção das coisas, tão inseridos que estamos no materialismo, nas preocupações egoicas a respeito do que vão pensar de nós e nas coisas que , erroneamente, achamos imprescindíveis em nossas vidas.


Acho que os acontecimentos ruins, aqueles que chamamos de tragédias, nos advém justamente para nos devolver o nosso senso de proporção e nos ajudar a qualificar o que realmente tem importância na vida. Pena que muitas vezes, não percebemos isto, não aprendemos a lição, e logo após superarmos a fase ruim, continuamos dando murros em pontas de facas e nos machucando com coisas sem importância real.

Mas quando aprendemos com as tragédias da vida, temos uma visão mais ampla do que ela significa, do que é e do que não é importante. Eu aprendi algumas coisas, embora o aprender não esteja jamais concluído, e haja sempre recaídas, momentos nos quais nos esquecemos temporariamente das nossas lições. Mas a vida trata de nos refrescar a memória! Algumas das coisas que aprendi:


-O que realmente importa, não é apenas o reconhecimento daquilo que fazemos, mas sim o prazer que temos no momento em que nos entregamos a algo que adoramos fazer. O reconhecimento pode vir ou não; se ele chegar, será a coroação de nossos êxitos, mas se não chegar, importa o quanto sentimos prazer, nos divertimos e aprendemos.


-O ônibus atrasado, o carro que quebra, o motorista que nos ultrapassa, a nota baixa em um teste para o qual estudamos, o vizinho chato... o que eles realmente significam? Qual será o peso deles em nossas vidas daqui a, digamos, um ano, cinco anos? Então, por que nos aborrecemos tanto?

-A coisa mais importante para alguém que sofre, é ter uma mão para segurar. Não interessam as palavras, eles não querem ouvir alguém dizer que tudo vai melhorar, que Deus quis assim, ou que as coisas pelas quais passam são consequências de seus atos. Eles só precisam de uma mão para segurar, um abraço, um olhar.

-Somos capazes de passar por coisas terríveis! Pense na coisa que você acha mais terrível: a morte de alguém que você ama, a perda financeira, uma doença grave, o abandono, a traição, o desemprego, uma tragédia. Saiba que sempre que você vê alguém passar por algo assim e pensa: "Como ele é forte! Eu jamais poderia superar algo assim," é porque você subestima a sua força. Você é capaz de superar até mesmo coisas bem piores! Basta estar vivendo aquilo, passando por aquilo.


Somos bem maiores do que pensamos que somos, e ao mesmo tempo, somos bem menores do que pensamos que somos, tudo depende da ocasião. Mas uma coisa é certa: somos todos mais ou menos do mesmo tamanho. A variação de proporção que vemos entre as pessoas, está nas atitudes que elas escolhem tomar, e elas tomam certas atitudes porque não estão cientes do quanto elas poderiam ser melhores. Mas até isto vem com o tempo e com a vivência.




3 comentários:

  1. Bom dia Ana. Sabe qual é o meu lema? Amanhã é outro dia e nada vale a pena, tudo passa, dores, amores... fiquemos só com as saudades boas, as lembranças agradaveis. Beijo de saudade de zélia

    ResponderExcluir
  2. Tudo isso que você descreve e uns passam mais, outros menos, é o que eu chamo de VIDA, assim mesmo, com letras maiúsculas!

    ResponderExcluir
  3. Magnífico seu texto! É um retrato da visão de Hermes, O que existe em cima tem em baixo, dentro e fora e assim por diante... Parabéns! E que Deus nos abençoe e nos ilumine... Sempre...

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...