segunda-feira, 26 de março de 2012

A FELICIDADE É VIRA-LATA





Não, não se trata de briga; esses dois aí na foto fazem parte de uma turminha de cães abandonados que ficam sempre nos arredores da Praça D. Pedro, aqui em Petrópolis. Protegidos pelos motoristas de taxi do local e por algumas senhoras que os alimentam, eles já fazem parte da paisagem.

Já é costume das pessoas, parar para observá-los brincando sobre o gramado da praça. Às vezes, alguém lhes joga uma garrafa plástica, e a festa dura horas... pessoas param e sentam-se nos bancos da praça, enquanto algumas (como eu) resolvem tirar uma foto.

Ser cachorro de rua não deve ser fácil... nem sempre, o dia está bonito, e nem sempre seus 'protetores' estão por perto. O inverno Petropolitano pode ser duro, e na época das chuvas, é preciso encontrar um abrigo. Sem falar nas pessoas maldosas, que lhes atropelam ou envenenam. Felizmente, elas são a minoria absoluta!

Mas eu gosto de parar para observar estes cães, porque eles deixam o coração leve... não sabem quando será sua próxima refeição, mas desfrutam de cada momento vivido com intensidade; brincam, correm, deitam-se ao sol, fazem festas nas pessoas. Parece até que gostam de ser observados, e fazem questão de que o espetáculo seja digno de admiração. Isso é que é viver!

De vez em quando, deveríamos tirar uma folguinha para deitar na grama, brincar um pouquinho, desfrutar o momento sem pensar no que vai ser amanhã. Ser viralatamente felizes.








8 comentários:

  1. Ana,que legal o seu texto!Os viralatas curtem o momento,daí sua felicidade!Bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  2. Amiga Ana
    Você é uma das poucas que a maldade humana não conseguiu destruir. Viralatamente falando março completou um ano que miinha cachorra morreu.
    Era uma pastora branca dócil e alegre. A batizei NIKITA NAKAROVA. A considerava minha filha, minha neta. Hoje é história. Tenho enorme vazio e entendo como é importante curtir cada segundo da vida. Em 1992 estive em An
    gola e percebi que o tribal pode até estar doente, mas não havendo dor não
    há lamento. Saudações Viralatas IRNUS (Amaury da Silva Rego)

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde Ana, li outro dia que os animais são mais sabidos do que nós, eles entendem o que a gente diz, mas não entendemos o que eles querem dizer.

    ResponderExcluir
  4. BOM DIA ANA !! QUE LINDO FICOU ESSE TEXTO .. MUITO ESPECIAL !!! BJJJ LINDA TERÇA FEIRA A TI

    ResponderExcluir
  5. Excelentes, seu texto e a vida de quem não tem outras pretensões, que não seja ser levado pela existência... Parabéns! E que Deus nos abençoe e nos ilumine... Sempre...

    ResponderExcluir
  6. Ana: Parabéns pelo texto. Agradeço sua visita ao FONTEIRAS DA FÉ e comentário ao texto NOS BASTIDORES DO ACHÔMETRO... Concordo com sua idéia que: "existe lugar no mundo para todas as idéias, e o espaço entre elas é o respeito". A falta de respeito tem construído tantas barreiras que, seria assunto pra muitos textos...

    ResponderExcluir
  7. JÁ ESTOU VENDO A CENA; EU E MEU IRMÃO ROLANDO NA GRAMA LÁ PAÇA DO PEDRO E AS PESSOA JOGANDO GARRAFA DE PRÁSTICO NI NÓS. NUM GOSTEI.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Não Tenho Mais Nada Contigo

Estou escrevendo estas linhas  Só para deixar bem claro: Não tenho mais nada contigo. Teu rosto não faz mais figura...