domingo, 11 de março de 2012

MORRI, E FUI PARA O CÉU






Eu que tinha tanto medo

Do Outro Lado da Vida,

De repente, no desterro

Dessa vida, eu me vi...




Olhei para trás, no caminho

Enquanto a alma ascendia

E vi a grande baderna

Na qual estava inserida

Uma parte da minha vida.




Vi que as cores podem ser

Mais belas aqui do que lá,

Vi que o ego, se domado,

Pode muito me ensinar...




Morri, e fui para o céu,

Sinto que eu vejo melhor,

Respiro muito melhor,

Flutuo muito melhor...




À minha volta, o silêncio,

E um tanto de solidão...

Mas estou acostumada

A com ela conviver,




E, se eu tive que morrer

Por que irei lamentar?

E se aqui existe paz,

Por que eu iria voltar?













2 comentários:

  1. lindo lindo !!!! mas voltar é divino , com forças restauradas........ te amo !!

    ResponderExcluir
  2. ANA, SEMPRE GOSTEI DE LER O QUE ESCREVES... PRINCIPALMENTE TEUS POEMAS! ENTRETANTO, TUAS CRÔNICAS, ARTIGOS E CONTOS SÃO SEMPRE MUITO BONS! ADOREI TEU BLOG, TUDO QUE LI!! SUCESSO SEMPRE!!! GRANDE ABRAÇO E MUITA PAZ!
    PEDRO CAMPOS

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Mandrágora

Teu Nome – raiz de mandrágora Perpassando o meu caminho, Me fazendo tropeçar... Um dragão adormecido Em isolada cave...