quarta-feira, 14 de março de 2012

Esquecidos








Chega um momento

Em que é preciso seguir em frente

E deixar para trás o que se perdeu,

E aqueles que se foram de nós.




E por mais que pensemos

Que jamais esqueceremos,

A vida vem, e tudo cobre

Com o cobertor do tempo...




Mas um dia... ah, um dia,

A lembrança vem e pousa

Tal qual uma borboleta

Cansada de voar...




E como pesa, essa borboleta!

Quando se vai, finalmente,

Fica no ombro uma dor

Do tempo em que ela pousou...




Mas dentro em breve, seremos

Todos, sem exceção,

Eternamente esquecidos

Na estrada da contra-mão!




E um dia, nós, borboletas

Pousaremos sobre os ombros

Daqueles que nos amaram

E que já nos esqueceram...

















8 comentários:

  1. Uma poesia riquíssima em metáforas, com o brilhantismo e o talento a ti peculiar. Parabéns! Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
  2. triste , lindo navegante na tristeza da certeza que tudo passa... por isso exatamente querida Ana, é que devemos ser mais flexiveis a certas coisas. viver vale a pena. um beijo lindo em seu coração ! felicidade sempre. olguinha costa

    ResponderExcluir
  3. A magia está na poesia que ainda somos capazes de escrever. Isso nunca morre em nós Ana. Existe muita vida antes, durante, e depois do RL. Mas digo e repito: precisamos de você lá, sua babuleta atrevida! rsrs... e chata! Marcelo Braga.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, Ana! Certamente esqueceremos sim, pois o tempo é nosso aliado e também nos esquecerão alguns... A vida é cíclica, ainda bem! E, é claro, conheceremos outras pessoas, talvez até mais interessantes! Belo o seu poema! Olha, desconfio que se afastou do RL, pelo que li por aqui e lá, posso presumir isso, mas quero lhe pedir para voltar, Ana. Não sei por qual motivo se afastou, mas pense bem, não vale à pena se afastar dali por causa de ninguém que a possa ter ofendido ou algo parecido! Peço-lhe que não saia, você faz falta, gosto de ler você! Volte, viu! Gostei muito de poder vir aqui e apreciar o seu blog! Beijo gradnão!

    ResponderExcluir
  5. Ana, c omo faz para seguir seu blog> Não encontrei nenhum ícone por aqui. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, a borboleta pousou no meu ombro e está ja ficando pesada com saudade de você no Recanto.
      Amei esse poema. Abraços.

      Excluir
  6. Olá, Ariadne! Tem um botão à esquerda, no alto, 'seguir.' Também estou ainda aprendendo... espero que você ache! Obrigada, abraços.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...