Retorno






Retorno

Pensei jamais voltar aqui,
Mas a estrada me trouxe
Estendendo aos meus pés
Os caminhos de outrora.

Puxei, sem querer, os fios da memória
E me lembrei de ti.

Tudo, nesse jardim
É planta sem flor, sem viço,
Caminhos musgosos
Cobertos de densa neblina
Onde um dia, tu passaste.

Queria ouvir de novo a tua voz
No bico de um pássaro,
Ou ver um segundo do teu rosto
No espelho silencioso destas águas!

Mas há um rio entre nós,
E nos olhamos
Cada qual, do seu lado,
Sabendo que não há pontes
E nem há barcos.

A vontade afunda, afoga-se,
Sem jamais chegar às margens.


Comentários

  1. Que curioso , ANA !
    E logo hoje que me OBRIGUEI a visitar-te !
    Entre nós, não há um rio, não...
    Há a imensidão de todo um oceano !
    Mesmo assim, o GRIFO foi falar contigo.
    Só não sei se me vês, ou sequer se me escutas...

    Escreves maravilhosamente bem e não me canso de to dizer !

    Um beijo, Ana querida.

    ResponderExcluir
  2. Ana,

    Há sempre a possibilidade de se construir pontes, na verdade elas só não são construídas quando não há vontade mútua. Adorei tudo nas linhas, mas gostei mais ainda do que está entre. Gr. Bj. e uma semana maravilhosa pra vc!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom pra refletir, meus pés onde estão me levando.

    bjs

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana.
    Um pode-se construir pontes.
    Ótima semana.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Olá!Boa noite
    Ana
    Muito belo...
    Para o bem ou para o mal, enquanto por aqui estivermos, seremos sempre, em última análise, condicionados pelo pensamento, prisioneiros da força de nossa mente, e é até natural que assim o seja, embora não desejável... creio que a ponte já existe...
    Obrigado pelo carinho
    Bela semana
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Estou passando para apreciar sua maravilhosa página e agradecer por estar conosco.
    Muito obrigada e volte sempre.

    ResponderExcluir
  7. Lindo , muito lindo , Ana .
    Que bom poder ler sua escrita .
    Obrigada .
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá Ana
    Quando não há pontes, a distância é eterna.
    Bjux

    ResponderExcluir
  9. Lindo... mas o amor nunca deveria rimar com a dor, né? Bjks Tetê

    ResponderExcluir
  10. ANA

    Estou encantado com o "GRIFO" que me colocaste !
    És uma delícia !!!

    Um beijo muito grato.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Doce de Abóbora

VIDA

Sentidos