quarta-feira, 10 de julho de 2013

Ainda Bem que Existe a Poesia!...





Ainda Bem que Existe a Poesia!...


É tanta coisa, tanta, todo dia!
Da mais profunda e límpida tristeza
À beira da mais louca alegria...
E o sol se deita, e se levanta,
Todo santo dia!

Enquanto isso, a lágrima de esperança
Escorre devagar por entre os dedos,
Formando imensos, densos, tristes rios
Da mais total e pura nostalgia!...

-Ainda bem que existe a poesia!

E é ela quem derrama, entre linhas,
O doce do alcaçuz, o fel das rinhas,
A vida traduzida em verso e prosa,

Da cega e escura noite
À singeleza da rosa!

-Ainda bem que existe a poesia!

E quando vem a chuva, em gotas lindas
Fazendo transbordar muitas saudades,
É ela quem nos salva e nos resgata:
Uma consolação de pura arte!

-Ainda bem que existe a poesia!

E quando na memória mais profunda
Insiste a dor mais forte, mais fecunda,
De repente, nos chega um passarinho,
E a mente assim se solta, de mansinho...

-Ainda bem que existe a poesia!


5 comentários:

  1. Ainda bem que existe mesmo e cabe à nós não deixá-la de ver! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Que beleza! Ainda bem que existe a poesia!
    Adorei!
    Su

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana
    Ainda bem que existe a poesia, para contar e cantar a vida.
    Bjux

    ResponderExcluir
  4. Ainda bem que existe a poesia! Ainda bem que existe a poeta Ana Bailune!
    Ana amiga. Ana visitante do meu blog! Ana que produz encantamentos através dos versos!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

É QUE ÀS VEZES, O ADEUS PESA...

Não, não pude olhar para trás,  Atravessar aquela rua, Ir ao pé da tua janela E me despedir. Não, eu  não pude hes...