Mãos Vazias




Pra ser feliz, às vezes
É preciso uma gota
De egoísmo...

-Vês?

A dor do outro
Quando nada há
Que possa ser feito,
Queima o peito,
Cala a voz!

Ah, triste cenário,
Ver que o que deve ser feito
Não o será,

Pois falta um simples gesto
De vontade própria,
Que não cabe em minhas mãos!

E eles seguem sempre,
Ansiando pelo perfume de uma rosa
Que jamais plantaram!



Comentários

  1. Oi Ana, plantar a rosa talvez seja o segredo para as mãos vazias transofrmarem-se em jardins.

    Sempre um prazer ler Ana Bailune.

    bacios bella!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Doce de Abóbora

VIDA

Sentidos