quarta-feira, 18 de julho de 2012

Valores Mineiros





Quase todo ano, meu marido e eu saímos em viagem por uma semana. Há alguns anos, decidimos que iríamos para Minas, conhecer a parte histórica. Não tínhamos nada planejado, a não ser o nosso quartel-general, que ficaria em Tiradentes, em uma pensãozinha barata que achamos na internet. Nome da pensão (acreditem ou não): Pensão Uélerson. Viajar com pouco dinheiro é assim... mas o café da manhã era muito bom, e o lugar, apesar de bem simples, era limpo. Claro, quando meu marido chegou no quarto e viu o carpete roxo, teve vontade de mudar de hotel; mas era época de Festival de Inverno, não havia vagas e tivemos que ficar lá mesmo.

Todos os dias, íamos a uma cidade diferente: Congonhas, Mariana, Ouro Preto, Ouro Branco, enfim, a maioria das cidades mais conhecidas da parte histórica de Minas. A que mais gostei, foi Ouro Preto. Lá, passamos duas noites. Passear por aquelas ladeiras é uma mágica experiência, principalmente à noite, quando a bruma desce. Tiramos tantas fotos! Fazia um frio de lascar, e aproveitamos para nos empanturrar de caldos, massas  e vinhos.

Uma das coisas que me impressionou, foi a hospitalidade do povo Mineiro. Éramos muito bem-tratados aonde quer que fôssemos. Um outro fato que aconteceu e deixou-me estupefata, foi quando ao final de uma tarde, em Tiradentes, bateu-nos uma vontade tremenda de tomar café com pão. Na padaria.

Achamos uma padaria pequenininha, sob um sobrado gracioso. Entramos, e não havia ninguém. Resolvemos esperar, e nada... a fome aumentando... reparamos que após vários minutos, ninguém aparecera, e comentamos: "Nossa... se alguém deixar uma loja sozinha por tanto tempo lá no Rio, ou até mesmo em Petrópolis, quando voltar, terá sido roubado!"

Finalmente, uma moça veio do sobradinho. Falamos com ela sobre nosso pensamento, e ela respondeu: "Ah, aqui não tem perigo não!"  E perguntou-nos há quanto tempo estávamos esperando. "Há meia hora, mais ou menos!", respondemos. E ela: "Quando for assim, pode entrar, pegar o café, passar a manteiga no pão e deixar o dinheiro no caixa!"

Era assim que as coisas funcionavam por lá.

E é assim que as coisas deveriam funcionar em qualquer lugar.

Acho que mais tarde, vou mudar para Minas.

2 comentários:

  1. acho que parece esquisito (pra nós de fora), mas na verdade nada impediria as coisas fossem assim em outros lugares... Como alguém já disse, não é preciso muito para ser feliz. Os moderninhos é que complicam as coisas. Já pensou o tal de sequestro relâmpago (?!) - direi: Vai trabaslhar folgadão ou como diziam por aqui: Quer moleza, vá no Balaio (publicidade de um supermercado de cá)...

    ResponderExcluir
  2. rsrs mude mesmo, é o melhor lugar pra se viver... saudável, respeitador e etc... bjuuu

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

O que Tem na Sua Playlist? Uma Interação

Inspirada por um comentário de paulo Bratz a um de meus posts, que fala sobre um aparelho de som que comprei na Black Friday,...