sexta-feira, 20 de julho de 2012

Flecha





Amarrei forte
O sonho à flecha;
Lancei no ar...

Raios de sol
A colorir,
A iluminar!...

E o que me importa,
Não é o alvo,
Mas o sonhar!

Pus um pedaço
Do coração
Neste lançar!

5 comentários:

  1. Boa tarde, Ana. Simplesmente eu ADOREI a sua poesia, você foi direta, contudo profusa!
    Você se importou com o que de fato tem muito mais valor, o sonho!!!
    Muitos de nós definimos o que queremos ao lançar a flecha, você foi mais longe, tal qual um filósofo faz.
    O que te importa, é a alma, o seu coração estar contido no sonho, e não o que ele irá alcançar.
    Verdadeiramente você não foi imediatista!
    Beijos na alma, e feliz dia do amigo!

    ResponderExcluir
  2. Espero que tenha chegado a um lugar onde a felicidade se sobrepõe à tristeza!
    Belo poema!
    Muita paz!

    ResponderExcluir
  3. É durante o sonhar que vivemos momentos de grande alegria. Não importa o que vamos colher, mas o voo que estamos a abraçar.
    Tenha um lindo dia e que suas amizades sejam comemoradas durante todos eles. Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Aconteça o que acontecer amanhã
    Já tive o dia de hoje
    Aconteça que não veja mais o mesmo céu
    Nem uma Lua que envergonhada foge

    Cada silaba minha traz o Inverno
    À poeta sem luz ou louvor
    Não quero que morra a minha herança de alegria
    Nem que me atirem mais a palavra amor
    Bom fim de semana

    Doce beijo

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Mandrágora

Teu Nome – raiz de mandrágora Perpassando o meu caminho, Me fazendo tropeçar... Um dragão adormecido Em isolada cave...