segunda-feira, 16 de julho de 2012

A Coceira - Conto



Há alguns dias, ela vinha sendo incomodada por uma coceira intermitente nas suas partes baixas. Consultara o ginecologista, mas este, após vários exames minuciosos, nada encontrou de errado com a moça. Desesperada, ela consultou outros especialistas: dermatologistas, acupunturistas e até um Pai de Santo - que, por incrível que pareça, foi quem deu-lhe o melhor diagnóstico:

-Suncê tá sofrendo de tédio, zinfia.
-Tédio, eu?!
-Tédio, sim...
-Impossível! Eu tenho uma vida agitada, trabalho oito por horas por dia, vou à academia três vezes por semana, saio com as amigas duas noites após o expediente, faço pós, jazz, enfim... tenho uma vida agitada!

O Preto Velho, que ouvira seu relato pitando seu cachimbo cuidadosamente, apertou os olhinhos e observou:

-E cumé que tá seu casamento, zinfia?

Ela hesitou, antes de responder:

-Hã... bem...
-Eu num disse que suncê tá entediada?
-Mas... já estamos casados há seis anos, meu Pai. É natural... não é?

O Preto Velho, virando a cabeça para trás, solta uma gargalhada, respondendo:

-Depende... cumé que anda as noite docês?
-Bem, eu confesso que já não há mais a mesma paixão de antes. No sexo, eu quero dizer.
-Mas e nas outras coisas, fia?
-Que outras coisas?

O Preto velho dá uma longa baforada em seu cachimbo:

-Suncês não tem mais nada em comum? Suncês num conversa de noite? Não conta história? Num fala do dia? Num ri?
-Temos, um filho! Bem, é isso, temos um filho em comum.
-Num é disso que eu tô falando... que coisas suncês tem juntos? Se divertem? Tem amizade? Cumplicidade?

Ela não responde. Olha para as mãos. O Preto Velho diz:

-Essa coceira aí é por causa de que suncê só casou com a parte de baixo! E num existe fogo que queima pra sempre com a mesma intensidade, fia... tende a ir virando uma brasinha, e se não tiver lenha pra manter acesa, apaga de vez... e a lenha tá na ... na... cumé que ocês dizem, quando dois moram juntos...
-Convivência?
-Isso! Cunvivência! É na cunvivência que o casal vai buscar lenha pra manter o resto aceso... hehehehe...

A moça, corando um pouco (jamais imaginaria falar sobre um assunto daqueles com um Preto Velho), responde, torcendo as mãos no colo:

-Mas a minha analista me disse que o sexo é a parte mais importante do casamento, e eu fiz tudo direitinho: realizei todas as nossas fantasias, comprei uns equipamentos para apimentar a relação, me vesti de enfermeira, de empregada, e de estudante, de prostituta, entre outras coisas... mas mesmo assim, chegou uma hora em que aquelas artificialidades todas começaram a deixar de surtir efeito...

-Hehehehe... porque o que é erguido em cima de coisa artificial, é artificial, e acaba caindo com o tempo. Aliás, zinfia... hehehe... tudo acaba caindo com  o tempo... hehehehe... umas brincadeira de vez em quando é bom, mas se for só isso, num sobra muita coisa!

O Preto Velho serviu-se de um pouco de vinho em sua cuia de coco, e bebendo uma golada,  acrescentou:

-Zinfia...as parte de baixo é importante para se ter uma relação, mas num é tudo, não... tem as outras partes, que são essa daqui (ele coloca a palma da mão sobre o coração) e essa daqui (ele toca a própria cabeça). Se num tivé as três, não dura! E tem tumém a amizade. 

-Mas, Pai, e a minha analista?
-Ela é casada, fia?
-Divorciada! Duas vezes.
-Ela tem perna de calça, fia?
-Muitos... sabe, após tantos anos de análise, ela acabou me contando um pouco da vida dela.
-Ela num tem marido, então?
-Não!
-Ela faz muito sexo?
-Disse que sim!

O Preto Velho, oferecendo a cuia com vinho para a moça beber, solta uma gargalhada e diz:

-Hehehehehe... cada um fala do que sabe, fia! Ela fala dela mesma! E suncê, ao invés de ficar vivendo baseada no que os otro diz, no que os otro acha certo, no que os otro acha errado, devia se ocupar de construir uma vida procê. O mundo tá cheio de gente que acha que a própria vida pode servir de exemplo pros outros... hum-hum...

Um comentário:

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Não Tenho Mais Nada Contigo

Estou escrevendo estas linhas  Só para deixar bem claro: Não tenho mais nada contigo. Teu rosto não faz mais figura...