quinta-feira, 5 de julho de 2012

Te Dou de Presente Este Poema




Te dou de presente este poema,
Ainda quente,
Recém-saído do meu forno de palavras
Para que faças dele
O que quiseres...

Podes recitá-lo
Na alegria, ou na mágoa,
Queimá-lo em uma noite fria,
Dizer que ele é teu, tua criação,
Ou que o recebeste como homenagem...

Podes rasgá-lo em mil pedaços,
Ou esquecê-lo dentro de um livro,
Quem sabe, na lata de lixo,
Pois dei-te o poema, e ele é teu.

Só há um pedido que te faço,
Antes de dar-lhe algum destino,
Uma pequena condição:
Lembra-te que, junto com ele,
Embrulhadinho para presente,
Está um pedaço do meu coração.

17 comentários:

  1. É, se seu coração está dentro do poema, devo e devemos guardar com cuidado e carinho.

    Beijos,
    Jorge

    ResponderExcluir
  2. Esse pedacinho de coração representa o mundo imenso, é o mundo de uma pessoa íntegra, inteligente, sensível, séria, incompreendida por estar além e não fazer teatro para agradar quem quer que seja. Dizem que a arte poética é expressar belamente, e eu acredito nisso, e você o faz de modo magistral, único, seu somente, e, de quebra, de sempre de um modo lúcido, inteligente, além. Obrigado por você nos ajudar a crescer, a ser mais gente. Abraços fraternos.

    ResponderExcluir
  3. Não vou esquecer, mesmo.
    Você, amiga, também escreve pacas ( adorei a palavra nova!!!)
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Olá!Boa tarde!
    ...Guardei o poema!
    Se rasgar um de seus versos, remendo até que consigam se refazer, mas não abro mão de tê-la.Para ler no amor, na paixão, no seduzir, nas amizades, nas descobertas, dores e superações. Guardei!Mas que eu seja livre e enquanto eu viver, que ele,o poema, me sirva para abanar as tristezas dos caminhos e desfazer tempestades e que as nuvens deixem suas lagrimas descerem para regar o solo, e que este fique fértil e feliz sempre quando eu passar, com o seu poema doado de coração...
    Obrigado pelo carinho da visita!
    Boa sexta feira!
    Beijos com carinho

    ResponderExcluir
  5. Ah! que bonito! Velhos tempos do romantismo. Será que hoje eles entendem isso? A conversa que ouço entre namorados não tem nada a ver....

    ResponderExcluir
  6. Boa Noite.
    Venho conhecer e seguir seu lindo blog através do blog da ,Marcia Luconi uma amiga muito especial.
    Adorei seu poema carinho e delicadeza
    que vi no seu blog.
    Deixo convite para conhecer meu cantinho.
    Um feliz final de semana beijos,Evanir..

    ResponderExcluir
  7. Lindooo Ana!!!
    Está no meu coração, amém.
    Beijos amada.

    ResponderExcluir
  8. Por ter ficado muito fixo na minha mente a palavra "embrulhadinho" que consta no penúltimo verso, eu fiz confusão no comentário e disse "um pedacinho do seu coração representa um mundo imenso...". Mas é um "pedaço", puxa, e, é claro, o mundo fica maior, mas é responsabilidade, respeito e zelo sempre, pois, afinal, como diz uma letra de uma música "a rosa é minha / a rosa é sua / a rosa é de quem souber amar"

    ResponderExcluir
  9. Irrecusável e plenamente delicado. Aplausos amiga!

    ResponderExcluir
  10. Ahhhh, ele vai pra dentro do meu coração também. Amei, amei!

    ResponderExcluir
  11. Bom dia minha querida !!!!!
    Vc sempre tão atenciosa para comigo...só posso vim te trazer um carinho bem especial...linda!
    Seu poema é um presente para qualquer coração...lindo !
    bjsssssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  12. Olá Ana! Tudo bem?
    Tuas poesias são lindas, é um prazer estar aqui!

    Aproveito para tirar uma dúvida:
    Eu não estou sabendo como os meus links então sendo enviados para você, (não foi uma opção minha,)
    E não estou sabendo como de desativá-lo.
    Acredito que seja possível desativá-lo no seu recebimento de e-mail se tiver lhe incomodando.
    Obrigado pela compreensão e amizade.

    ResponderExcluir
  13. Que doce e terno poema, vou guardá-lo com muito carinho e cuidado. Abrçs. Helena

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Mandrágora

Teu Nome – raiz de mandrágora Perpassando o meu caminho, Me fazendo tropeçar... Um dragão adormecido Em isolada cave...