quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Enquanto for Preciso





Sempre que amanhece,
Apaga-se uma dor,
Mas um sonho fenece...

Cada vez mais longe
Do amanhecer:
Caminho do dia,
Que ao primeiro raio, principia
A morrer!

Enquanto for preciso,
Direi o que tenho a dizer.

Eu às vezes choro,
Noutras, eu gargalho...
Ora passarinho,
Ora espantalho...

Bem longe do ninho,
Bem perto do céu...
Entre o choro e o riso
Haverá um véu.

E enquanto for preciso,
Direi o que tenho a dizer.

O que mais, me digam,
Se há de fazer?...

3 comentários:

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Até um Dia!

Olá, pessoal! Por motivos pessoais, estarei fora da rede durante alguns dias. Volto em breve! Abraços! ...