terça-feira, 11 de setembro de 2012

A Mão e as Cabeças









A mão pesava 
Sobre as cabeças
Sempre bem baixas...

A mão mostrava
E apontava 
As direções.

A mão cortava
Cada cabeça
Que se erguia.

A mão matava,
E escolhia,
Manipulava.

A mão batia
E espancava
O que chamava
De rebeldia.

A mão punia
E esmagava
Cada cabeça
Que se erguia...

Cabeças burras,
Cabeças tolas,
Cabeças fracas!

Cada cabeça
Tinha a sentença
Que merecia.

*

4 comentários:

  1. A imagem é fantastica Ana.Um pássaro de frente para o voo livre.
    O que podem as mãos e por analogia o poder que tudo pensa que faz no ato de destruir.
    Carinhoso abraço Ana.

    ResponderExcluir
  2. Confirma-se o "cada cabeça uma sentença..."

    Muito bom!

    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde, Ana. Muito bom. Cada qual entende qualquer questão com o juízo de sua própria mente, assim sendo, cabeças rolam, sofrem, padecem sem precisar.
    A maldade é uma constante no coração humano banalizando cada vez mais a vida!
    Beijos na alma e fique na paz!

    ResponderExcluir
  4. que foto linda Ana! a fragilidade de um ser e o poder de uma mão! adorei!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

VOLTANDO...

Veneza Olá, pessoal! Estive fora por uns dias, realizando um grande e muito antigo sonho: conhecer a Itália! Foi uma experi...