domingo, 23 de setembro de 2012

Bruxaria




Cai a tarde
Vem a noite
Em cores frias

Ria a bruxa
Bruxaria
Que faria...

Não sabia
Que sobre ela
Cairia!

Bruxa ria
Ria a bruxa
Bruxaria...

E um anjo
Escondido
Tudo via!...

E nas asas
Recolhia
Bruxaria...

Dissipava
Pelo vento
Uma trilha...

Que a maldade
Já de volta
Percorria!

Cai na bruxa
Bruxaria
Bem mais forte...

E ela bate
Contra o solo
Já à morte...

Bruxaria
Sobre a bruxa
Que morria...

Bruxuleia
Uma chama
Que se apaga...


5 comentários:

  1. poema acesso
    como uma chama de vela
    a bruxa
    magia
    bruxaria
    mas no fim
    a bruxa cairia
    e os versos ficariam
    bruxuleantes

    mui mágico

    Luiz Alfredo - poeta

    ResponderExcluir
  2. Muito legal esse jogo de palavras! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  3. Ei miga, teu poema Bruxaria que a bruxa_ria e que no fim ria a bruxa da bruxa_ria... ficou sensacional.

    O jogo de palavras deu uma entonação especial à essência do poema que você fechou com chave de ouro com a chama da vela... remexendo nas sombras. Deu até pra ver a imagem bruxuleante.
    Muito bom!

    bacios cara mia
    :D

    ResponderExcluir
  4. Oba uma embolada sobre o tema Bruxaria,e aqui o caldeirão
    pegou fogo e as ervas espalharam o toque mágico.Parabéns
    Gostei.Bjus\Flor*

    ResponderExcluir
  5. Brincou lindamente com as palavras. A bruxa não ri mais (rss), apagou-se. Bjs.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...