quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Por Onde Andam os Anjos




Os anjos andam na lama,
Cobertos de trapos,
De pés descalços
E fingem-se loucos.

As asas cortadas
Insistem em crescer,
Mas os anjos
Não querem morrer.

Bebem da vida
Pelo gargalo,
Tropeçam  tontos
Pelas ruelas,
Perdem as penas
Pela avenida...

E quem os vê, os teme,
Não sabem quem são,
Não sabem que os anjos
Não tem auréolas,
Mas caem de bêbados
Pelas vielas.

E quando morrem,
É como se jamais
Tivessem vivido
Ou sido gente...

Nas covas rasas
Dormem os anjos
Como indigentes.


15 comentários:

  1. Que beleza de poema, Ana !
    Quem me dera ser um desses teus anjos...

    Um beijo amigo.

    ResponderExcluir
  2. Sim, minha irmã, os anjos andam por aí, por toda parte.
    Grande poesia/análise social. Valeu!!
    um abraço

    ResponderExcluir
  3. Lindo demais e estão sempre por aí,basta olhar e perceber! beijos,lindo dia! chica

    ResponderExcluir
  4. Seriam estes anjos em minha parca visão, os menores abandonados que perambulam pelas ruas da cidade... Belo poema social amiga!

    ResponderExcluir
  5. Muitas vezes passamos por esses anjos sem percebemos!
    Lindo Ana!
    Beijos
    Amara

    ResponderExcluir
  6. Oi Ana querida


    Que o seu final de semana seja repleto de alegrias e grandes realizações...

    Beijos com carinho
    Ani

    ResponderExcluir
  7. Ana isto é lindo demais, nossa forte e belo, sim os anjos ao se depararem com a maldade humana fogem desta humanidade tornando-se anônimos fazendo parte do contingente dos invisíveis para os humanos desumanos, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  8. Ana sempre gostei de escrever sobre anjos, mas este teu poema superou tudo que já escrevi.Está simplesmente divino, sutil, frágil e com um toque de abandono com estes seres que existem de fato (eu creio).

    Vamos priorizar nosso anjo interior e abraçar o anjo protetor, aquele que vive ao nosso lado em constante proteção.

    Lindo, lindo, aliás como sempre.
    bacios e bom domingo

    ResponderExcluir
  9. Muito interessante esta visão dos anjos perambulando bêbados por ai.
    Os anjos estão sempre a nos espreitar com suas asas feridas.
    Anjos existem e anjos inspiram,assim belamente assim.
    Que os seus anjos estejam sempre atentos em cada dia Ana.
    Um abração,

    ResponderExcluir
  10. Olá amiga passei para deixar o meu abraço e desejar-te uma semana de muita paz e feliz.
    Estou também, regando a minha plantinha da amizade.
    Para ser amigo,
    não é necessário abraçar
    o tempo todo, nem está sempre perto
    Mas amar pelo tempo
    necessário para ser inesquecível e lembrar mesmo estando longe.
    Bjuss,
    Lourdes Duarte

    ResponderExcluir
  11. Anjos de asas cortadas, bêbados pelas vielas, quantos anjos assim estão por aí e ninguém os nota. Belíssimo poema, sobretudo porque, além da beleza da forma, seu conteúdo profundo nos leva a refletir nos anjos abandonados pela vida. Parabéns por mais um poema magistral.

    ResponderExcluir
  12. Bonito poema, Ana.
    Com certeza, estes anjos que descreves ainda são anjos em formação. ;)

    Beijinhos,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Ah, os Italianos! - Parte II

Pôr do sol em Florença... jamais esquecerei. Continuação do texto anterior LIXO – Quando fui jogar o lixo fora pela pri...