quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Garganta de Flor




Garganta de flor
Corredor de cor
Um pólen de voz
Perfume de amor.

Lá vem beija-flor,
O sumo da foz
Despeja-lhe  a flor,
Não pensa na dor.




13 comentários:

  1. Ana Bailune

    Achei o poema magnifico de imaginação de texto e ilustrações.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. A próxima será você a nos brindar com seus escritos em SEM OLHARES CRÍTICOS.
    Uma linda tarde!!!

    ResponderExcluir
  3. Linda sintonia flor e beija flor!Procurei seu livro no Clube dos autores,depois voltei aqui e nos teus blogs e não achei...cadê, Ana? bjs,

    ResponderExcluir
  4. Ana, parabéns pela Garganta de Flor! Rimou e expressou com amor e singeleza!...

    O meu abraço... Bom Fim de Semana...

    ResponderExcluir
  5. Quer interação mais bonita? Hã, hã. Parabéns, Ana.

    ResponderExcluir
  6. Uma flor de poema
    versos são puras pétalas
    de mel
    o beijo profundo do beija -flor
    apaixonado
    num poema colorido
    estampado de tanta cor
    tanto amor
    no céu da boca

    Luiz Alfredo - poeta

    ResponderExcluir
  7. Iluminada e elegante construção.
    Muito lindo Ana.
    Aplausos amiga.
    Bela semana com meu terno abraço.

    ResponderExcluir
  8. Iluminada e elegante construção.
    Muito lindo Ana.
    Aplausos amiga.
    Bela semana com meu terno abraço.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

É QUE ÀS VEZES, O ADEUS PESA...

Não, não pude olhar para trás,  Atravessar aquela rua, Ir ao pé da tua janela E me despedir. Não, eu  não pude hes...