quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Pegue um Poema







Pegue um poema,
E com a fita
Meça-lhe as métricas,
Corte-lhe os versos,
Escolha apenas
Frases formais
E rebuscadas...
Pintando a cena...

Pegue um poema,
Ajeite o tema,
Corrija tudo
O que é ruim,
Estique um pouco
Aquela letra,
Rebusque o estilo
Antes, chinfrim.

Trabalhe nele
Como um soldado,
Deixando os versos
Bem martelados,
Alexandrinos,
Seja o que for,
Mas com cuidado:
Não mate o amor!




18 comentários:

  1. Ai Ana, "pelamor" hein? rsr

    Está tão perfeito e criativo que eu só acrescentaria um laço de fita para fechar o pacote porque esse poema é um presente. Presente esse que teus fãs como eu, ganham todos os dias lendo tuas inspirações que impressionam pela beleza e originalidade.

    beijão procê!!

    LU C.

    ResponderExcluir
  2. Muito bonito este poema. Escreve maravilhosamente.
    Um bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  3. Não e não, Ana !
    Os teus poemas são maravilhosos sempre !
    Lamento não poder lê-los todos !

    Um beijo amigo.

    ResponderExcluir
  4. Olá amiga Ana!

    Muito obrigada pela opinião dada no meu último post, ainda estou a ponderar.

    O teu poema está muito criativo. :) Para compor um poema, é preciso uma coisa muito importante que é sentir amor no coração.

    Beijinhos,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    http://jakeemary.blogspot.com/2013/08/capitulo-11-olhos-nos-olhos.html

    http://espacoconscienciapura.blogspot.com/2013/08/deus-e-o-infinito.html

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana,
    boa tarde,
    belo trabalho!
    a dedicação deu os seus frutos no amor...
    eu adorei!

    Desejo-lhe uma linda quarta-feira
    um grande abraço

    ResponderExcluir
  6. Olá querida amiga, cada escolha, por menor que seja, é uma forma de semente que lançamos
    sobre o canteiro que somos.
    Um dia, tudo o que agora silenciosamente plantamos, ou deixamos plantar em nós, será plantação que poderá ser vista de longe. Estou aqui semeando a minha sementinha da amizade e muito grata com tua visita e o comentário que deixou. Desculpe mais uma vez está com o comentário colado. Motivo: o frio está grande e quem tem reumatismo não sabe qual a articulação que dói mais, este tem sido um dos meus problemas, mas vou superando as dores.São pedras que venho retirando do meu caminho, confiando em Deus que tudo passará.
    Uma linda noite e um amanhecer na paz. Abraçosss
    Lourdes Duarte

    ResponderExcluir
  7. Que lindo,Ana!Vim pegar um poema e me deliciar com sua maravilhosa inspiração!bjs,

    ResponderExcluir
  8. Boa noite Ana, amiga estou passando para deixar meu abraço amigo e lhe agradecer pelo carinho de sua visita e presença lá no meu cantinho.
    Obrigada de coração
    com carinho
    Maria Alice

    ResponderExcluir
  9. Eita Ana! Que legal esse poema!
    Hahahahaha, fazer poemas assim com tecnicas, é pra quem manja mesmo.
    Antigamente os poetas faziam contas de silabas e de frases. Hoje está mais relaxado.

    Parabens! Muito legal!

    ResponderExcluir
  10. Ana adorei isto, às vezes o poeta se preocupa tanto em deixar a obra perfeita que acaba perdendo um pouco da essência, eu não sou poetisa, escritora, etc e tal, apenas ponho pra fora o que me vai na alma, não me preocupo com estilo, métrica, se é poema ou prosa poética, só assim consigo ser eu, e é só que quero, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  11. Ana, gostei muitíssimo do poema! Superssolto e livre... Alegre e profundo!

    O meu abraço

    ResponderExcluir

  12. Lindo, Ana.
    Creio que nos poemas pode faltar tudo em termos de técnica, mas deve sobrar sentimentos, que é o que toca a alma do leitor.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  13. Trabalhe o poema como se faz a laranja com seus gomos e sementes ou como se constrói o muro às plantas e coisa e tal, da forma que Ana escreve a súplica "de não matar o amor nessa construção". É Ana!

    ResponderExcluir
  14. Postei este poema em SEM OLHARES CRÍTICOS, amiga! Espero que goste. Um grande abraço e lindo domingo!!!

    ResponderExcluir
  15. Essa é uma construção trabalhada com amor, para despertar o sentir de quem lê. Bjs.

    ResponderExcluir
  16. Esta é para emoldurar.
    Penso que li lá no RL.
    Um show amiga Ana.
    Abraços.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

É QUE ÀS VEZES, O ADEUS PESA...

Não, não pude olhar para trás,  Atravessar aquela rua, Ir ao pé da tua janela E me despedir. Não, eu  não pude hes...