quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Razão





Razão


Lembro-me bem;
Já passei por aqui,
Há muito, muito tempo...

Deixei beijos sobre as folhas,
Suspiros de encantamento
Ecoando entre estes muros.

Eu nada trouxe comigo,
-Nem levarei nada, eu juro,
Vim apenas de passagem
Sem pretender causar danos
Sem amassar o relvado.

Quero apenas reviver
Tentar saber se 'inda resta
Um pouco do que encontrei
Naquele tempo acabado...



2 comentários:

  1. Que lindo, Ana. Realmente, estamos apenas de passagem e daqui não levaremos nada. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Olha, terminar o domingo lendo Ana Bailune é relax total pra enfrentar a segundona(ainda mais com esse frio que voltou).

    Seus poemas enlevam e restauram o nosso cotidiano. Eles são doces, elegantes, sem apelativos como aqueles chavões cansados e chatos que me fazem sair correndo na primeira linha poética.

    Falar sobre o tema central deste poema em particular é comum, todo mundo quer poetar sobre o assunto, porém nem sempre agrada, mas você tem especialidades na escrita e tudo que escreve agrada (creio), qualquer público alvo.

    * quem teria passado por esta relva...

    Um pássaro?

    Um perfume?

    Um som seguido de cor?

    Um pé feminino talvez... Sabe-se lá!

    Nem importa, porque a leitura faz um milagre e a gente se sente ali, no ar e no éter.

    Demais!
    bacios cara mia!!
    :)

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Mensagem - Desativação de Blogs e Incorporação dos Conteúdos

Olá, pessoal! Estou desativando a maioria de meus blogs, pois acho que me entusiasmei e acabando abrindo espaços demais. Ho...