Redenção - Resenha

imagem: Google



Redenção - baseado em fatos reais



Baseado na autobiografia de Sam Childers, "Another Man's War."
Com: Gerard Butler, Michelle Monaghan e grande elenco.
Gênero: Ação / drama / policial
Ano: 2011
Direção: Marc Forster
Nacionalidade: Estados Unidos da América


Redenção é a história de Sam Chindlers, um ex-drogado e bandido que virou pastor e abraçou a causa de salvar crianças abandonadas na guerra civil Africana. Convivendo com as dificuldades enfrentadas pelas crianças, cujos pais são mortos por guerrilheiros, e que passam a ser abusadas sexualmente, torturadas e mortas pelos terroristas caso não concordem em entrar para o seu bando, o pastor Sam Childers decide ajudá-las; abrindo mão de suas próprias economias e arrecadando dinheiro com muito esforço, ele consegue construir um orfanato para ajudar as crianças, colocando em risco a sua própria vida quando decide atuar no combate aos terroristas.

Entretanto, a relação com sua família, que continua vivendo nos Estados Unidos enquanto ele muda-se para a o Sudão, acaba sendo deixada para segundo plano, o que causa-lhe muitos conflitos e dúvidas. 

De repente, a sua causa mostra-se mais difícil do que ele pensaria que poderia ser, pois Childers percebe que ela não é encarada com a mesma urgência pelos membros da sua igreja e banqueiros nos Estados Unidos, que mostram-se reticentes em contribuir com o dinheiro que ele necessita. Este fato o torna amargo e ainda mais violento.

Ele precisará recobrar as origens de seu idealismo e a doçura que o moveu até a África, voltando às origens dos sentimentos que o levaram a abraçar uma causa tão difícil. E ele o consegue, através da ajuda de um menino africano.

Para mim, o filme não é apenas mais uma história que mostra cenas violentas. Ele fala de uma causa que ninguém deseja defender, preferindo negar a existência de tais acontecimentos. Melhor continuar dentro de sua igreja, arrecadando fundos através de jantares dançantes e almoços comunitários, empregando o dinheiro nos arredores do próprio quintal, a arriscar a vida defendendo crianças pobres, negras abandonadas e sem esperanças, esquecidas pelo mundo, que vegetam tristemente no coração da África.

É preciso ter uma coragem e um desprendimento que a maioria de nós jamais terá. Pessoas como este pastor vem ao mundo em missão. Pertencem a uma estirpe superior a da raça humana. E é muito difícil para elas compreenderem que a sua causa não tem a menor importância para a maioria das pessoas que deveriam estar verdadeiramente preocupadas com ela. É preciso livrar o coração da amargura que fica após esta constatação. Um ótimo filme.





Comentários

  1. Agradecendo a dica e esta anotado aqui para vê-lo! abração

    ResponderExcluir
  2. Um filme, creio para ser assistido por todos pois certamente tocará muito na sensibilidade e na emoção. Um ótima dica.

    ResponderExcluir
  3. Já vi e é ótimo. Você está certíssima, Ana, o grande valor está nas atitudes e não se restringe à arrecadação de valores que nem sempre sabemos como são utilizados. Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Olá Ana,
    Ainda não vi, mas diante de sua resenha e da opinião da minha irmã, já anotei a dica.
    É preciso grande espírito de solidariedade e renúncia para se dedicar pessoalmente a causas como esta.

    Beijo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Doce de Abóbora

VIDA

Sentidos