domingo, 20 de outubro de 2013

LUA





Neblina com ares de cristal,
Translucidamente brilha
A lua,
Entre os galhos do pinheiro.

Pingam gotas de umidade
De cada partícula,
E nelas,
A lua repartida.

Magicamente,
Perfumes de cedro se espalham,
Suavemente...
Juntam-se às Damas da Noite,
Refrescam o hálito Divino...

Cessou a chuva,
E a lua veio,
Para mostrar que ainda brilha,
Para mostrar que ainda vive.





7 comentários:

  1. Boa noite !
    Poetisa de muitos ...aproveite seu dia para ganhar os elogios merecidos...
    Que possas ser visto por todo o mundo poético...
    Ser um poeta é muito mais que fazer versos.
    Poeta vê, além da terra, o céu profundo,
    e, no infinito, tantos astros submersos.
    Também imita o próprio Deus, Poeta fecundo,
    nas suas páginas mais lindas, no universo,
    no belo e magno poema deste mundo.
    FELIZ DIA DO POETA !

    ResponderExcluir
  2. Ana,belíssimo poema! A lua é uma grande inspiração para os poetas! Lindo!
    Beijos
    Amara

    ResponderExcluir
  3. Belo poema , Ana . Gostei demais . Beijos e boa semana

    ResponderExcluir
  4. Li, vivi a Natureza pura do poema, voltei a ler; desta vez com música celta como fundo. Seu poema é lindíssimo, Ana!

    ResponderExcluir
  5. E depois do cessar da chuva e da vinda da LUA tudo torna-se mais brilhante. Um beijinho, Ana.

    ResponderExcluir
  6. Ana, teus poemas são músicas no ar... dançam e rodopiam
    brilham e hipnotizam de tanta beleza.

    "A Lua - musa mãe, inteira de prazer"
    (Lu Cavichioli)

    especialmente pra você, querida amiga.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

REFLEXÃO

Já muito andei sem enxergar, sem ver, O que me fez e me desfez, a fome... "Ana" é o nome que alguém me deu, M...