terça-feira, 1 de outubro de 2013

O Fio






Um fio trespassa
Minha palavra
Que nasce no solo
Do coração.

O fio corta,
Divide, rasga,
Ao meio, a dor
Da solidão.

E ela jorra,
Transborda toda
Em versos tristes...
-A redenção!

Vem o silêncio,
A paz final
Ah, minha tola,
Doce canção!...


7 comentários:

  1. Uma triste e doce canção à soliddaão.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Um dia escrevi algo q traduz exatamente este seu sentimento e esta sua emoção:

    "Aniquilo minha tangente com uma secante
    Que corta meu corpo em dois pontos;
    Procuro então duas áreas distintas, dentro de um mesmo espaço,
    Cortadas por um mesmo princípio.

    A tangente, aquela que vislumbrei em minha direção
    Reside do lado de fora
    E me corta em apenas um ponto:
    Não ter a simplicidade para só ter a mim a ao momento ..."

    ResponderExcluir
  3. O fio condutor do poema te levou ao resultado de um belo poema.
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Que lindos versos, amiga Ana, que linda tolice é essa doce canção!
    Gostei do novo visual, a linda foto sobressaiu!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá Ana! Lindo!! e forte!!! Um fio trespassa
    Minha palavra
    Que nasce no solo
    Do coração.
    canção, que embala um coração solitário...
    Obrigada pela visita, volte sempre. Bjuss fica na paz de Deus

    ResponderExcluir
  6. Oi Ana
    Muito lindo e bem escrito! Vc entrelaçou o fio no poema muito bem! Adorei!
    Bjos.

    ResponderExcluir
  7. Poemas que nos fazem sentir são maravilhosos. É a emoção despertada pelos versos que nos fazem dizer: belo! Bjs.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

É QUE ÀS VEZES, O ADEUS PESA...

Não, não pude olhar para trás,  Atravessar aquela rua, Ir ao pé da tua janela E me despedir. Não, eu  não pude hes...