Visita à Janela





Visita à Janela


As leves cortinas de voil
Balançavam ao vento,
Hipnoticamente.

Trouxeram à tona, lembranças
Nas barras das saias,
E um passado velado.

A paisagem da janela
Modificou-se,
Ganhando um tom sépia
Enquanto lá fora,
Crianças brincavam.

Eu era uma delas.

Jogamos bola,
Fizemos roda,
Brincamos de cantar...

A tarde morreu,
A noite avançou...

Balançou a cortina,
Quebrando o encanto.

Comentários

  1. Que linda volta no tempo!Um encanto de poesia!bjs,

    ResponderExcluir
  2. Ana, encantados são seus versos. De uma lembrança, fez arte. Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Ah... que pena que o encanto se quebrou! Querida, estou em novo endereço, se quiser fazer uma visita, fique à vontade: http://sempredebemcomvida.blogspot.com.br/ Bjks Tetê

    ResponderExcluir
  4. Ana Bailune

    Noutro tempo, quebrou-se o encanto, que deu lugar a um interessante poema evocativo e ficaram bonitas flores.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito deste poema. Às vezes os encantos são interrompidos,
    mas outros virão.
    Desejo que esteja bem.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  6. Olá Ana, e que tudo esteja bem!

    Este inclemente senhor que chamamos de tempo, sempre fracionando os encantos deste nosso viver, mas tem que ser assim, tudo e todos está sob a direção dele!
    É sempre um prazer passar aqui neste teu belo espaço, de lindos poemas e imagens. Obrigado por compartilhar, pelas visitas e amizade também eu desejo que tenha sempre em teu viver a felicidade intensa, ainda que fragmentada pelo tempo!
    Um grande abraço e, até mais!



    ResponderExcluir
  7. " Jogamos bola , fizemos roda , brincamos de cantar ".Tudo isto você nos proporciona através de sua escrita , Ana . Obrigada . Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Doce de Abóbora

VIDA

Sentidos