quinta-feira, 19 de setembro de 2013

O que Faz Durar?


No último dia 16 completamos 23 anos de casamento. Fizemos as contas: nos conhecemos há 29 anos! Estive pensando no que faz um casamento durar, e cheguei a algumas conclusões (sobre o meu, pelo menos):

Não existe relacionamento perfeito. Ninguém será totalmente feliz e satisfeito em todos os aspectos o tempo todo; mas é preciso saber medir as vantagens e desvantagens de se estar juntos,  o que é bom, o que pode ser melhorado e o que deve ser aceito. Tentar modificar a maneira do outro ser pode ser desastroso... é preciso que cada um tenha espaço suficiente para ser, existir, manter sua personalidade e seus gostos pessoais. E de nada adianta desfazer-se das coisas que o outro aprecia: eu gosto de escrever, ele gosta de futebol, e pronto. Jamais gostarei de futebol, e ele jamais gostará de escrever, e isto é um fato. Mas um respeita os gostos do outro. E é claro, há várias outras coisas que gostamos de fazer juntos!

Também não é uma boa ideia (aliás, é péssimo) intrometer-se entre o cônjuge e sua família, especialmente, seus pais. Ao nos casarmos com alguém, querendo ou não, estamos também entrando para um a família, da qual faremos parte. Certa vez ouvi alguém dizer que para saber se o(a) cara metade será um bom marido ou não, temos que observar a maneira como ele (a) se relaciona com os pais. E se o relacionamento é bom, por que tentar estragá-lo? Ciúmes? Competição? Com certeza, quem vem de uma família sólida, jamais aceitará esse tipo de coisa.

É preciso não ir dormir com raiva um do outro - embora nem sempre isto seja possível. Mas que seja raro! Mas segurar a raiva ou o ressentimento 'em prol de uma boa convivência' pode criar uma bomba relógio que fatalmente explodirá. Melhor expressar de uma vez como cada um se sente em relação ao que acontece. Dizem que existem dois tipos de casais que não dão certo: os que brigam o tempo todo e os que jamais brigam. Eu concordo.

Ciúmes? Tratar de controlá-lo... é certo que muitas vezes ele até pode ter fundamento, mas é preciso saber agir nestes casos. Uma coisa boa: quando eu sinto ciúmes, procuro melhorar minha imagem: saio, vou ao cabeleireiro, compro uma roupa nova e vou visitá-lo no trabalho. E se necessário, dou um 'chega-pra-lá' educado no objeto do meu ciúme - quando eu percebo que ela está tentando se aproximar demais. Sempre é bom mostrar que o lugar está ocupado, e que tentar sentar-se aonde não foi convidada não será nada fácil. Mas se tem algo que abomino, é o escândalo. Prefiro ser discreta nestas situações... rsrsrsrs...

Enfim: não sei bem o que faz um casamento durar. Existem casamentos que duram, embora os parceiros se odeiem mutuamente, e fiquem o tempo todo competindo entre si ou tentando controlar o outro. São relacionamentos doentios, baseados na dependência e na falta de autoestima (como o casamento dos protagonistas da novela das nove da Globo, os personagens de Suzana Vieira e Antônio Fagundes, Pilar e César). Mas eu preferiria não ter um relacionamento assim, e jamais ficaria com alguém apenas por conveniência. 

Mas sem respeito, amor, cumplicidade e uma boa dose de tolerância, não há casamento que dure.




9 comentários:

  1. Parabéns pelo aniversário de casamento e acho que vai por aí mesmo. Como disse uma vez o Tom Hanks (li numa entrevista não lembro mais em qual revista): "O sucesso de um casamento depende de com quem a gente casa". Concordo 100%!! Beijos e parabéns :-)

    ResponderExcluir
  2. Umas reflexões muito acertadas, Ana !
    Viver em conjunt, nem sempre é um mar de rosas. Isso sabemos todos !
    Cada um preisa de ter o seu espaço.

    Um beijo e parabéns pelos 23 !
    Nós levamos 49 1/2...

    ResponderExcluir
  3. Ana,uma análise perfeita sobre os casamentos e com dicas valiosas para que seja duradouro!Adorei!bjs,

    ResponderExcluir
  4. Amigo subscrevo o seu texto e dou os meus parabéns a ambos.
    Eu e meu marido se chegarmos ao próximo dia 16 de Outubro
    faremos 45 anos de casados. Já não há pais dos dois lados.
    Não tivemos filhos. Temos sobrinhos e filhos de sobrinhos.
    Acrescento que é preciso ter também muita amizade e verdade.
    Beijinhos
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  5. Olá!Bom dia
    Ana
    Parabéns pelos 23 anos de casamentos e que venha mais e mais anos.
    casais que não dão certo são os que brigam o tempo todo e os que jamais brigam. Eu , também,concordo.
    eu não tenho muita experiência nesse assunto, hehehe...mas, penso que qualquer relacionamento sem um sentimento forte e verdadeiro já é fadado ao fracasso e entender verdadeiramente seu cônjuge é um dos maiores desafios. As pessoas são tão diferentes, têm expectativas diferentes e gostos diferentes em tudo e um casamento passa por tantas dificuldades e altos e baixos, que entender seu parceiro é um pré-requisito básico para aqueles que querem de verdade que seu casamento dure para sempre. O ideal é tratarmos uma pessoa da maneira que gostaríamos de ser tratado e sermos perseverantes em todos os projetos e objetivos comuns... assim serão prósperos em tudo , e o casamento vai durar , não sei se é para sempre, mas uns 23 anos com certeza!
    Agradeço
    Belos dias
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pelos seus 23 anos de casamento. Atualmente são poucos os casais que conseguem ficar tanto tempo juntos.
    Você faz uma análise muito boa a termina com uma frase que sintetiza tudo: sem respeito, amor, cumplicidade e uma boa dose de tolerância, não há casamento que resista.
    Que sua vida seja sempre plena de amor e alegrias.
    Beijos,

    ResponderExcluir
  7. Oi Ana querida


    Parabéns pelos 23 anos de casada... Eu acho que o que faz um casamento durar assim é o amor e dos bons.... Fora a paciência, cumplicidade, respeito, generosidade e por ai vai amiga...

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  8. Parabéns Ana pelos 23 anos de casamento . Bodas de Palha . Minha concordância com seu texto é total , já que casada estou há 33 . Beijos ao casal

    ResponderExcluir
  9. Ana, às vezes penso que o casamento é uma instituição em vias de extinção! Mas o justo é não generalizar. Cada caso é um caso. E o seu é dos bons. Parabéns!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

É QUE ÀS VEZES, O ADEUS PESA...

Não, não pude olhar para trás,  Atravessar aquela rua, Ir ao pé da tua janela E me despedir. Não, eu  não pude hes...