domingo, 15 de setembro de 2013

TRANSGRESSÃO




Nasci para andar descalça.

Meto os pés na lama
Sem hesitação,
Cubro-me das pétalas
Que das flores caem,
Orno-me das folhas
Que as árvores enjeitam,
Mato minha sede
Com a água que nasce
Das loucas enchentes,
Revolta da chuva,
Revolta dos rios.

Aparentemente,
Sigo a linha reta
Que a vida desenha,
Mas dentro de mim
A estrada não segue
Caminhos conhecidos:
Sou de poucas palavras,
Poucas perguntas,
Poucos amigos.


Prefiro o silêncio, 
E dele eu me visto,
Sou bicho das sombras,
Ando equilibrando-me
Pelo meio-fio
Só porque assim
Eu me divirto,
E seu eu cair,
Não há abismos.

Aprendi a ser
Aquela que cai,
E sempre se ergue
Um milhão de vezes.
Não desisto nunca
De recomeçar.
De cabeça erguida
Sacudo a poeira,
Só pago o que devo
(Se acho que devo)
Choro quando quero.

É duro, é difícil,
É quase impossível
(Desista, eu te digo)
Me fazer cair,
Me manter no chão,
Calar minha voz,
E ferir a pele
Do meu coração
Que bate sozinho,
Sem necessidade
De adrenalina.


Eu pago meus micos
Sem pedir descontos,
Não tenho vergonha,
Nada me constrange,
Nada me intimida,
Nada .


13 comentários:

  1. Que lindo poetar!Amei, tanto quanto o novo visual do blogue, os dizeres de Oscar Wilder, pois é minha amiga, a alma sabe bem o que é bom, mesmo que nem sempre nos aplaudam pelos nossos feitos, mesmo porque, viver é a melhor coisa que existe, mas tem de ser assim, como aqui dissestes,pagando "nossos micos sem pedir desconto", sem nenhum constrangimento, nada é para nos fazer sentir vergonha de viver, ser autêntico tem esse preço, eu também sou muito eu mesma, agradando ou não a quem quer que seja!
    Beijos minha amiga, lindo demais tudo o que escrevestes!

    ResponderExcluir
  2. Gostei dos ultimos versos,
    nada intimida, pago meus micos,
    é bom arriscar.

    bjs

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Bonito demais , Ana .
    A última estrofe é perfeita :
    Eu pago meus micos
    Sem pedir descontos,
    Não tenho vergonha ,
    Nada me constrange ,
    Nada me intimida ,
    Nada ."
    Beijos e ótima semana .

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana querida

    Uma semana cheia de realizações pra você...
    Beijinhos
    Ani

    ResponderExcluir
  5. Ana Bailune

    Belo poema, bastante ritmado, como convém para um tema em que as muitas resoluções são lema, para não dizer teorema. Parabéns!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Ana adorei teu poema, você parece uma pessoa decidida que toma suas decisões e vai a luta, ganhar ou perder, não faz mal tudo aprendizado, cair ficar no chão jamais, isto me passa o teu rosto e os teus textos, neste poema só a confirmação que não me enganei, muito te admiro, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  7. Ana, há 2 anos que te sigo, que te leio. Escreves cada vez melhor!

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde Ana!
    Estou a retomar, lentamente a"blogagem !"Com restrições médicas. Descobri, ao visitar uma amiga, o seu blog. Gostei e estou a seguir. O poema agradou-me tanto,tanto que se for autobiográfico você é ainda mais fantástica. Uma mulher de fibra. Parabéns!
    Um abraço de Portugal.
    M. Emília

    ResponderExcluir
  9. Olá, querida.
    Boa noite.
    Gostei. Deslumbrante.
    Parabéns.
    Abraços

    ResponderExcluir
  10. A vida, naturalmente vivida. A maturidade que não permite abalos. A consciência do que se pode ser, com simplicidade e verdade. Muito belo!

    ResponderExcluir
  11. Olá!Boa noite
    Ana
    Gostei...
    ..."Aparentemente,
    Sigo a linha reta
    Que a vida desenha,
    Mas dentro de mim
    A estrada não segue
    Caminhos conhecidos"... ...sem transgressão haveria uma forte tendência à estagnação, tanto no campo individual quanto coletivo, e deixamos de sair em busca de uma nova forma de viver e conviver. E nessa trajetória , a “mesmice” muitas vezes é o caminho curto, o mais simples, e tendemos a se mover nessa direção, mais imediata e curta, porém , esse caminho pode não se levar a lugar algum.Se fôssemos todos mais corajosos e temêssemos menos a possibilidade de sermos perversos, se não temêssemos o que os outros irão pensar, e se não temêssemos nossa própria auto-imagem, este seria um mundo de menos interdições desnecessárias e de melhor qualidade.A coragem é condição necessária para ser livre e pensar por conta própria. É saber 'cair e levantar-se' sem se deixar intimidar, sem se deixar atemorizar afim de outras tentativas...
    Viver exige sacrifícios, só devemos ter cuidado para não nos sacrificarmos ao nada...
    Agradeço
    Belos dias
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. BOA NOITE MINHA QUERIDA !!!!!
    SAUDADESSSSSSSSSSSS..
    ESTAVA SENTINDO FALTA DE VIM POR AQUI E LER-TE,POIS COMO SEMPRE ENCONTRO LINDOS POEMAS...
    BJSSSSSSSSSSSSSSS

    ResponderExcluir
  13. Quanta firmeza em cada palavra !
    E fizeste este belo poema que meencantou !

    Um beijo, querida Ana.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

É QUE ÀS VEZES, O ADEUS PESA...

Não, não pude olhar para trás,  Atravessar aquela rua, Ir ao pé da tua janela E me despedir. Não, eu  não pude hes...