domingo, 16 de fevereiro de 2014

Uma Mulher à Moda Antiga





Acredito que eu seja uma mulher à moda antiga. Gosto muito quando um homem me cede o lugar em um espaço público, ou permite que eu adentre um ônibus ou sala diante dele. Gosto quando meu marido faz questão de pagar a conta do restaurante sozinho e me ajuda em pequenas tarefas caseiras. Acima de tudo, adoro quando vejo cavalheirismo genuíno, sem segundas intenções, aquele que vem do berço, da boa educação e de um sentimento de solidariedade ao próximo - seja o próximo homem ou mulher.

Infelizmente, homens assim fazem parte de uma rara categoria hoje em dia... o que mais vemos, são jovens que dirigem-se a garotas chamando-as de 'popozudas', 'cachorras' e outros codinomes menos honrosos. Pior de tudo: elas sentem orgulho ao serem desvalorizadas desta maneira. Há homens que furam filas, empurram mulheres e dizem palavrões diante de senhoras e crianças, desrespeitando o espaço comum e a sociedade onde vivem.

Hoje em dia, o apelo sexual parece ser a 'qualidade' mais valiosa de uma mulher ou de um homem. A todo momento, vemos homens que se referem ao tamanho do seus penduricalhos ou à sua performance sexual (geralmente impecável, embora não endossada por mulher alguma) ou até à sua capacidade de gerar bebês como prova de sua masculinidade... eu penso que os que assim agem, não tem mais nenhum valor moral ou sentimental, ou qualquer capacidade de argumentação que lhes reste; além disso, apenas demonstram seu machismo e sua tremenda falta de educação e sensibilidade. Não percebem que, ao ofenderem uma mulher referindo-se ao tamanho do seu corpo, ofendem também a todas as outras mulheres que se enquadram na mesma categoria. E ao oferecerem seu penduricalho como prova de masculinidade, degradando a moral de uma mulher, degradam a moral de todas as outras mulheres - inclusive a de sua própria esposa.

Alguns homens ainda tentam criar a imagem machista de donos da verdade e superioridade intelectual às mulheres através do pênis apenas porque não tem mais nenhum argumento que os suporte. Agem como maricas, difamando e insultando a imagem de pessoas que nada lhe fizeram apenas porque sua baixa autoestima determina que pisem e esmaguem antes de serem pisados e esmagados. São covardes.

Infelizmente, o cavalheirismo está agonizando na UTI da vida. Talvez a causa mortis sejam a arrogância e a falta de educação.


PS: este é um texto de desabafo. Se você, homem, não se encaixa nesta triste categoria a qual me refiro, não se sinta ofendido.



9 comentários:

  1. Olá prezada Ana, e que tudo esteja bem!

    Infelizmente este teu pensamento vai servir como um elogio aos referidos, o que é uma pena, pois eu penso que o ser humano que não assimila qualquer sentimento de bondade e educação jamais terá a sensibilidade ou merecimento de se sentir ofendido, pois ele vive no depravado mundinho que se acostumou e não se dá conta das pessoas honradas a sua volta. Mas, há também o lado negro de algumas mulheres que empurram esgoto abaixo toda a luta daquelas que sofreram para que elas tivessem esta liberdade, de se fazerem cachorras e outros derivados animalescos que consideram adjetivos dignos de orgulhos, enfim é o ser humano, acreditando que evolução é sinônimo de degradação, ou ser mal educado. Pobre raça humana, que segue caminhando para o extermínio equivocadamente pensando estar em crescente evolução!
    E eu agradecido, e isto também pode ser considerado antigo, por tuas gentis visitas e também por tua amizade e por compartilhar belos escritos desejo que seja sempre deveras intenso e feliz o teu viver, um grande abraço e, até mais!

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde amiga Ana!
    Concordo contigo. Esses dias, estava conversando com minha mãe, sobre o comportamento de cada geração. De uns anos pra cá, creio que homens e mulheres se perderam. A sua insatisfação, é vista pelos adolescentes como antiquada ou coisa assim. O ato da conquista é prazeroso, bem como toda aquela romanticidade, cartinhas etc. O que presenciamos, é uma exploração a entrega do corpo, sem passar por essas etapas maravilhosas quando duas pessoas estão se conhecendo. É o que penso.

    Abraços,
    Fique na paz!
    Dan.
    http://gagopoetico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Amiga, este é o tom e o ritmo da música atual ... mulheres fúteis e desfrutáveis, homens babacas e arrogantes ... falam muito e agem pouco ... sem nenhum gabarito e sabedoria para viver ... tempos modernos ... fazer o que né?

    ResponderExcluir
  4. Ana Bailune, gostei da tua prosa e pergunto: não achas quando os homens apesentam exagerada desfaçatez, não estarão a querer um lado de maricas?
    Porque não ver a mulher igual ao homem?
    Mulher e homem são seres que devido a fisiologias diferentes se completam,
    Foi assim que me ensinaram.
    beijos

    ResponderExcluir
  5. Ana, também admiro homens cavalheiros, meu marido o é, tanto que estou casada com ele vai fazer 43 anos, em maio, portanto...
    Amiga, tudo na vida é questão de boa educação, tenho filho e netos, são os homens de minha vida que admiro e muito!
    Ainda bem que tens um marido que é de seu agrado, assim como disse o nosso amigo em comum o Daniel, "Mulher e homem são seres que devido a fisiologias diferentes se completam" sendo assim o natural é mesmo que sejamos, pois também o sou, "Uma mulher à Moda Antiga", gostei de ler!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Querido amigo Daniel, não acho que homens e mulheres sejam iguais, apesar de todas as tentativas para torná-los assim. Somos semelhantes, mas essencialmente diferentes. A tentativa de igualar homens e mulheres tirou a magia dos relacionamentos. Existem coisas que são de homens e coisas que são de mulheres, é assim que eu penso. Não sou a favor de dominância de uma classe sobre a outra, mas acredito que homens e mulheres são sim, bem diferentes. Somos mais intuitivas, e vocês, mais práticos; somos mais sensíveis, e vocês, mais sensatos. Há certos trabalhos que pela robustez física, caem melhor a vocês do que a nós, e outros, que pela paciência e riqueza em detalhes, nos servem melhor. Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Ana você sempre nos surpreende, com sua franqueza e ousadia, descreveu muito bem o que mais existe atualmente, homens sem caráter e sem nenhuma educação.
    Cavalheiros educados ainda existem, mas pela vulgarização do "machão", parecem que andam escondidos, acreditando que as mulheres só gostam de serem ofendidas. Estou com você, não abro mão, de ser tratada com educação. Abraços carinhosos Maria Teresa

    ResponderExcluir
  8. Ana,

    Eu tb me considero a moda antiga.
    Acho lindo homem que escreve, manda flores, abre portas, puxa cadeira.
    Mas hj em dia a mulher tb não se valoriza, acaba por vezes não dando espaço para o homem cortejar.
    E os homens de hj, tb não estão nem ai para nada, poucos são aqueles que se preocupam em conquistar uma mulher.

    bjokas =)

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

REFLEXÃO

Já muito andei sem enxergar, sem ver, O que me fez e me desfez, a fome... "Ana" é o nome que alguém me deu, M...