terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Dúvida





Faço ou não faço?
Mando de volta
Como resposta
Ou recolho o aço?

Nos meus rascunhos
Os testemunhos
Do estardalhaço!

Ficam guardados
-Mas até quando?
Já preparados.

Faço ou não faço?,
Já me pediram,
Incentivaram,
Me aconselharam:

-"Faça!", Disseram,
"E denuncie
Essa ameaça!
Que a muitos grassa!"

Pois traz no peito
A vil chantagem,
Falsa amizade,
Que pega a dor
De quem está fraco
Distorce e torce,
Muda, desnuda,
Joga na rede,
Difama, prende
Em vis chantagens...

Faço ou não faço?...
Deixo que a noite
(Mais uma noite)
Traga a resposta...




O que acontece aqui começou bem antes de fevereiro, mas tentei ignorar até que recebi o primeiro e-mail vindo desta senhora que diz ser mundialmente reconhecida, estar "No topo do mundo" e ser a Rainha dos Mindins. Só não compreendo porque alguém tão famoso perde tanto tempo com alguém que, segundo ela, é tão insignificante quanto eu.


22 de fev (Há 2 dias)

O que está em vermelho é a minha reflexão sobre o que ela escreveu.



Luna di Primo para mim:
"fico boba de ver a capacidade que tenho sobre sua mente, 
o poder que exerço sobre seu 'intelecto'
sempre escrevendo em cima de meus textos, pobrezinha... (que textos?!)
adora chamar minha atenção, escrever para mim rsrs
o que escrevo cai-lhe como carapuça, embora você não me inspire nem o mal
aliás você não inspira nada (nem mesmo esse email?)
mas as pessoas veem que você escreve em cima do que escrevo e imagina o que elas pensam..."(as pessoas veem ou você mostra a elas o que você quer que elas vejam?)

bjim querida escritora 'autentica' (hahahaha)

Em resposta ao seu email, tenho a dizer que:

Não preciso me inspirar em seus textos pois você jamais escreveu um.
Mas você não passa de um vampiro que vive de sugar a energia alheia para tentar escrever.
Esses seu livros, encalhados em sua casa são a prova disso.
Engula um pouco da sua saliva e deixe em paz aqueles que produzem alguma coisa. E pare de fofocar sobre a minha vida porque você não me conhece, e fico sabendo de todas às suas fofocas, sua idiota. Ache algo de útil para fazer de sua vida e me deixe em paz.
Continue escrevendo seus versinhos de uma palavra só pois é até onde vai o seu talento.
Pequeno e útil conselho: não fique dizendo por aí que me inspiro em seus textos. Vão rir de você.


Sua resposta, em itálico preto, sem aspas; em vermelho, o que me ocorreu no momento da publicação desses emails:
"Não preciso me inspirar em seus textos pois você jamais escreveu um."
- rs aiai e o que sobra pra vc? (o que sobra para mim são mais de dois mil e quinhentos textos publicados e uns dois mil ainda não publicados, um livro físico e cinco livros virtuais. Todos eles baseados nos seus mindins, hahaha!)

"Mas você não passa de um vampiro que vive de sugar a energia alheia para tentar escrever."
- rs parece que vc projeta no outro o quadro da sua vida, de suas ações, o qualifica conforme a si... - eu sempre vejo textos abordando temas que escrevo e os  torno públicos, por isso estou postando uma coisa ou outra pq  já cansei de fornecer subsídios gratuitamente... então a sugada sou eu... eu forneço energia para a vampirada, certo? Pegue um texto meu e me mostre em cima de qual escrevi... (o que você sabe de minhas ações? Alguma vez me viu pessoalmente, falou comigo ou  esteve na minha pele para saber como eu sou? Todo mundo é vampiro e escreve em cima dos seus escritos? Isso não é neurose, psicose, ou algo parecido?)

"Esses seu livros, encalhados em sua casa São a prova disso."
- rs pronto, é, também, uma cega vidente... pois, tem gente esperando remessas, pq não tenho nenhum comigo rsrs eu não brinco de escrever - eu escrevo por dinheiro, não tenho a vaidade de escrever pra ser lida, principalmente em internet se não é pra ganhar dinheiro, vou passear e gastar o que tenho, não vou perder tempo olhando pra uma tela vazia de vida, só pra alguém dizer que ficou bonito, que sou genial, que sou grande e etc... se não entra dinheiro, adeeeuuusss (Cega vidente é você que fica tirando conclusões sobre a minha vida baseada em seus delírios. Você escreve por dinheiro? Espero sinceramente que você tenha um  emprego ou outra fonte de renda.)

"Engula um pouco da sua saliva e deixe em paz aqueles que produzem alguma coisa." 
- Opssss falou isso foi pra vc, correto? (Hããã... não!)

"E pare de fofocar sobre a minha vida porque você não me conhece, e fico sabendo de todas às suas fofocas, sua idiota." 
 - se fica sabendo, então, das duas uma: ou vc está mentindo ou quem está sendo idiota é vc ou melhor, estão lhe fazendo de idiota, pq, felizmente, eu não perco tempo com essa forma tão ultrapassada de viver, inda mais em internet rsrs me poupe dona uso internet para trabalhar não dou conversa pra terceiros, muito menos gente à toa e não seja tão presunçosa a se dar tal importância (Ah, entendi: você só perde tempo examinando as escrivaninhas e blogs dos outros para achar textos e dizer que são baseados nos seus! E se você me acha assim tão à toa, não está dando muita conversa para mim?)

"Ache algo de útil para fazer de sua vida e me deixe em paz."
- que eu saiba e os fatos apontam, quem sente necessidade e busca minha presença é vc, já que não para de falar de mim e pra mim em seus escritos, até me faz importante aos olhos dos leitores, como isso não me importa, só faz me irritar ao escrever em cima de textos que torno públicos; não gosto de ser igual e muito menos que alguém queira se igualar a mim; acredito que tenha percebido isso e fica na ultrapassada implicância, que horror, nem acredito que, ainda, exista gente assim, de implicância... (Me igualar a você?! Deus me livre!)

Continue escrevendo seus versinhos de uma palavra só pois é até onde vai o seu talento.
- rs e pensar que o seu talento nem chegou aí rsrs tanto que inventou uma situação para brigar comigo e fugir da descoberta que eu viria a ter quando vc desistiu, parou de escrever esses versinhos (tentei dar uma força com seus mindins na ocasião em que você os implantou no Recanto, até que você começou a fazer troça por causa do problema de saúde de minha mãe, que a propósito, faleceu.  Até hoje não sei o motivo, mas desconfio que tenha sido porque você estivesse convencida de que eu escrevia alguma coisa para você - assim como dois outros escritores do Recanto a quem eu nem sequer lia antes de ser atacada por eles. Infelizmente, naquela época eu estava muito triste, e nem tive a ideia de fotografar o que você escreveu sobre esse assunto, e a administração do site, a meu pedido, fez você apagar tudo).

"Pequeno e útil conselho: não fique dizendo por aí que me inspiro em seus textos. Vão rir de você."
- ah, nem preciso fazer isso, vc mesma se denuncia com tanta clareza, só muda a forma de escrever pq não consegue fazer poesia, aliás, me sinto até vaidosa pq as pessoas veem que a lua vive conduzindo seus escritos e qualquer tema abordado vem vc falar da sua 'forma' de ver a questão, hábito que percebi, assim que comecei a a ler seus textos, vc não poeta, escreve textos em cima de outros, emitindo sua opinião, nem de crônicas, que são mais informais, podem ser chamados

ah, quanto aos meus versinhos carinhosamente chamados de mindins... depois fica sabendo (Eu não sei escrever poesia? E quem é você para me julgar? Então todo mundo que me comenta está mentindo? Os concursos que eu venci foram forjados? Quem sabe escrever poesia: você? E olha só, eu não quero ficar sabendo sobre o destino dos seus mindins, dos seus chinfrins ou qualquer coisa parecida.) Além disso, a lua é presença constante na escrivaninha de muitos autores e poetas do Recanto e de outros espaços, pois ela é a musa inspiradora mais mencionada em poemas e textos românticos. Só uma coisinha: você não é a lua. A lua não é você. Você é Luna di Primo (nome que nem sei se é verdadeiro), nome que jamais usei em nenhuma de minhas publicações, a não ser esta.


Respondi por email:

Cara Luna,

Em primeiro lugar, obrigada pela sua presença em meus blogs. Só aquele texto sobre banhos, publicados em "A Casa e a Alma", recebeu mais de mil visitas, e você inspirou-se nele para escrever sua última façanha.
Só tenho uma coisinha para te dizer, sua fofoqueira:

Te 
catar.

Mais um desses seus emails, e eu faço uma publicação no meu blog com eles.


Sua resposta:
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk e eu vou em blogs seus sua maluca olha nos seus endereços se estou em algum, não aprendi a perder tempo

mas, cumpra sua ameaça e vamos lavar a roupa suja em público, mas publica tudo tá? não tenho medo de você e claro quem vai perder mais uma vez sou eu pq vc nada tem a perder; já está acostumada a gritar e fazer escândalos, mas não se acovarde deixa seus comentários abertos pra eu te responder (Faço escândalos quando gente como você me enche a paciência. Pelo menos, não fico atazanando a vida de ninguém através de emails.)

ah e cadê as provas do que vc tá me acusando - fofoqueira? PROVA! (É preciso provar? rsrsrs)
Me inspirei no seu texto? PROVA que estive nos seus blogues e com data ok? (que eu saiba, foi você quem me escreveu dizendo que eu me inspirei nos seus.)

Deixa
De ser
Besta



Minha resposta:
Impublicável, pois sugeri que ela fosse exercer a prática do sexo anal. Em mindim.



Finalmente...

Se você é assim tão famosa e competente, tão maravilhosa e absoluta, por que perde tempo comigo, uma escritora amadora mundialmente desconhecida que não tem qualquer objetivo com o que publica? Segure um pouco a sua vaidade, pois todos os poetas escrevem sobre a lua, e a lua não é você. Sabia disso? Quer que eu desenhe? Heloooo! Como você diz, eu não tenho nada a perder, mas com certeza, após esse pequeno escândalo, todas as editoras que disputam entre si e imploram para publicar suas criações começarão a pensar duas vezes antes de contratá-la.

Eu não escrevo poesia para ganhar dinheiro, pois poesia para mim está acima desse clima de prostituição literária na qual estamos inseridos hoje em dia. Se algum dia eu vir a ganhar algum dinheiro com o que eu escrevo, será por mérito e convite. Não vou fundar associações de poetas para que eu mesma tenha o título de 'presidente' - que ridículo!- e nem vou criar estilos literários mal-arrumados para me promover. Se você quer vender os seus poemas, apenas desejo-lhe boa sorte e paciência para que encontre alguém que deseje comprá-los... e que lhe paguem muito bem, e você fique realmente muito famosa, feliz e superocupada, pois assim não terá tempo de debruçar-se sobre os meus espaços (e de outros escritores também) a fim de exercitar sua capacidade neurótica para imaginar coisas.

Nem mesmo sei se este é o seu verdadeiro nome! Pare de mandar-me seus emails cheios de "kkkkks" r "rsrsrsrs", pois eu não estou brincando com você. Eu nunca a abordei dessa forma, e apenas respondo ao que você me escreveu.

Você acha mesmo que tem poder sobre a minha mente, mulher? Ou será que está me outorgando poder sobre a sua? O que você quer; provar que suas fofocas ao meu respeito tem fundamentos? Você acha mesmo que é possível espalhar calúnias pelas redes sociais sem que elas cheguem aos ouvidos do caluniado? Acredita, de verdade, que todos os seus amigos virtuais são sinceros súditos que a veneram? Olhe bem à sua volta antes de falar mal dos outros! E tente realmente praticar o que você diz, ou seja, passe mais tempo TRABALHANDO na internet ou em outro local. O trabalho dignifica a alma. A sua está precisando de dignidade. Pare de se rastejar para mim tentando provar sua superioridade.

Faça o seguinte: siga minha sugestão dada no último email seu que eu respondi.


Chegou-me agora este, após eu sugerir que ela parasse ou eu publicaria seus emails:


Luna Di Primo
15:14 (Há 25 minutos)

para mim
ana, ana... eu rio pq acho graça, realmente... e pensar que faz tempo que, indiretamente, vc briga comigo em seus textos e eu nem sabia, até que foi bem clara em um deles; foi qdo lhe perguntei o pq e vc me veio com uma tempestade de acusações, assim como faz agora... acusa-me, mas nunca apresenta provas... o que devo pensar de vc? Eu sei da realidade virtual, talvez até melhor que vc, mas como disse, trabalho realmente e com a poesia também, não uso nenhuma dessas como terapia, pq não acredito que sejam... já leu algum escrito meu sobre minha vida particular? (você tem uma?) Se querer ganhar dinheiro com o próprio trabalho seja ele qual for se caracteriza prostituição, eu não sei o que é honestidade...honestidade seria ter romance virtual sendo que sou casada? Seria ficar brigando por conta de homem na internet? (Não tenho e nem tive relacionamentos virtuais, e esta acusação pode lhe render um processo, Luna. Aliás, tenho os emails que lhe escrevi naquela época, quando você me abordou toda gentil perguntando qual eram os motivos do meu desentendimento com aquela outra maluca. Se quiser, posso publicá-los também. Você fica pela internet se fazendo de amiga e colhendo material para distorcer e chantagear pessoas que temem chantagens. Mas quem não deve não teme.) Gritando acusações sem fundamento pelas redes sociais, sem apresentar uma prova sequer ou seria esse um artificio de autopromoção, sobre quem realmente tem crédito?( não preciso de promoção, quem quer se promover é você) E não falo desses q vc cita não,(que também não são seus amigos - e nem desses que estão curtindo e apoiando seu escândalo ou acha que aqueles lá são seus amigos também? (meus amigos eu sei quem são.) Adoram uma aberração. Eu falo daqueles que vc nunca viu... (e nem quero ver) E ademais, eu nada tenho a ver com quem é quem e pouco me importa, pois ser ou não ser isso e aquilo é por conta de quem é... cada um paga seu pato na vida,como estou pagando agora, por ter lhe dado crédito...(esse pato você mesma provocou, só que mexeu com a pessoa errada)
Faça o que quiser, mas lembre-se que eu também tenho o que mostrar (tem o que a mostrar? Os emails que você trocou fofocando a meu respeito com gente que não gosta de mim? Chantagem também é crime!) e repito, não tenho medo de seus escândalos, das suas bagunças, das suas carências de que olhares se voltem pra vc... Graças a Deus eu não preciso fazer isso, faço a minha poesia que vc diz nada valer (e me faz sofrer tanto com isso), mas que me dá bom retorno... como vc disse, eu não lhe conheço em particular e nem vc a mim, portanto, o que sabemos uma da outra é o que vemos na internet e cada uma forma a sua ideia conforme sua vivência e assim agem... (daí você erra! Não se pode tirar conclusões a respeito da moral de ninguém através do que ele(a) escreve! Isto é um julgamento injusto, baseado em inverdades e achismos! Eu nada sei de você, a não ser que fica me escrevendo e criando poemas sobre aquilo que você acha que seja a minha vida. Então se eu escrever sobre um serial killer significará que eu também sou uma serial killer? )

ah e o grupo ao qual se refere abri exatamente por conta dos amigos, que pediram, gostando ou não de mim estão sempre comigo... (ah, coitados... porque se não estiverem, você tenta chantageá-los?) e o que eu fizer, eles estarão me apoiando, como vc sempre vê... (isto se chama bullying virtual, e também dá processo)

Tanto fala de uma discussão que tive com alguém no ano de 2009, se não me engano, devido a um mal entendido - ela pensou que eu estivesse interessada em alguém que ela estava querendo namorar, mas eu sou uma senhora CASADA e não tenho vocação para prostituta ou periguete, e mais tarde, ela mesma veio desculpar-se comigo. Todos sabem que ela sofre de depressão e bipolaridade, e que tem surtos de vez em quando - ela mesma escrevia sobre isso. Mas você, que tanto fala dos problemas dos outros, não menciona que foi EXPULSA do site por provocar pessoas repetidamente. E sua birra não é só comigo, é segundo você mesma, com outras pessoas que de lá participam e que estariam, como eu "Escrevendo em cima do que você escreve ou plagiando a sua 'linda e reflexiva' obra. A isto eu chamo mania de perseguição, e a psicologia pode explicar muito bem.

O site do qual ambas participamos mandou que você retirasse um texto ofensivo sobre mim, e você, além de voltar a publicá-lo (recebi um link de uma pessoa que gosta de mim e me admira) ainda trocou o nome do mesmo. Sempre faz esse tipo de coisa: troca os títulos dos seus textos ou o miolo, a fim de publicar calúnias sobre os outros sem ser incomodada pela administração. Quando denunciada, finge inocência, repostando os textos anteriores e mantendo o título dos denunciados para que a administração não a mande excluí-los.  Lá em seus 'poemas' está o meu nome, várias vezes citado, e colocou os emails que enviei em resposta aos seus como se fossem comentários aos seus próprios textos para disfarçar. Ainda por cima, é covarde. Saiba que tenho tudo fotografado. Nem adianta trocar títulos ou conteúdos.




























8 comentários:

  1. Dúvida cruel essa! Pena essa tortura,não? bjs,chica

    ResponderExcluir
  2. Faça: feche um ouvido para não sair no outro e ore pelo aço que envia aço, pois a dívida com a Vida não é dívida de botequim. Mais uma coisa, poetisa: faça mais poemas e mais poemas e muito mais para nós. Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Tem tanta coisa que buscamos a resposta mais ela está mesmo dentro da gente.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. Aninha, amei sua vassourinha, rsss
    Sua postagem, excelente como sempre, mas faz a gente observar quantas vezes a dúvida nos visita durante o dia.
    Gostei muito .
    Bjs
    Nicinha

    ResponderExcluir
  5. Se for para o proveito de muitos - ou ainda que de um só, porém um bom proveito - faça. Abraço. E parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  6. Oi Ana, só você para saber, às vezes é necessário limpar a sujeira, para não ter que conviver com a mentira. Espero que faça o melhor para você, que seja muito abençoada, abraços carinhosos

    ResponderExcluir
  7. Nem sempre é bom fazer (rss). Alivia a alma mas também traz sofrimento. A dúvida é o instrumento que nos leva a refletir. Se existe, ainda não se chegou ao tempo certo. Bjs.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Exageros

    Assisti a um vídeo na internet no qual uma drag queen montada dava palestras em uma escola para crianças que, aparentemente, t...