terça-feira, 26 de novembro de 2013

Algumas Coisas




Algumas coisas nos entram pelos ouvidos,
Fazendo volteios pelos caminhos curvos
Do pensamento.
Os sentidos vão, aos poucos, se criando,
Se mostrando, em gritos sustenidos
Sustentados gritos em elevação.

Outras coisas, nos entram pelos olhos,
Causam-nos escândalo, ferem as pupilas,
Arranham as meninas.
Estas coisas ficam nas retinas,
Impedem o sono nas noites escuras,
Seguram, nas unhas, o amanhecer.

Ah, mas tudo isto faz parte, tudo é viver!
E é melhor senti-las a não ter sentidos,
E a dor sempre virá amarrada ao prazer,
Pois isto é viver, sim, isto é viver!...




3 comentários:

  1. Olá Ana querida. Magnífico texto. Compartilhei porque amei. Parabéns! Beijãooooo

    ResponderExcluir
  2. Seus poemas batem fundo, Ana. A segunda estrofe além da beleza poética revelam verdades tantas.

    Lindo, lindo - (como sempre)
    bacios de boa noite!!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Exageros

    Assisti a um vídeo na internet no qual uma drag queen montada dava palestras em uma escola para crianças que, aparentemente, t...