sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Poema Seco









Prefiro molhar-me de lágrimas
A viver uma vida seca,
Onde os sonhos se esfarelam
Sob o toque do martelo.

Prefiro essa rua vazia, essa casa,
Prefiro dormir sobre as pedras
E sonhar com as asas
A vertigem do voo que medra,
E perpetra a queda.

Prefiro guardar as palavras,
Usar as palavras, 
Brincar com as palavras,
Prefiro drenar meu rio de mágoas
E achar, lá no fundo, 
A paz procurada.

Prefiro uma alma lavada,
Prefiro a alegria silenciosa
E domesticada...
Não gosto, não quero jamais
A ostentação patética
Daquilo que não sou...

Meu poema é seco,
Mas sei de onde eu vim,
Escolho aonde vou.

2 comentários:

  1. Ser dono do seu próprio destino é algo para poucos, realmente =)

    beijos

    ResponderExcluir
  2. Ana, minha doce menina,
    vc mudou algo aki? tá diferente...
    Que poesia emocionante! eu também prefiro a alma lavada e saber onde vou. Muito bom.
    Feliz fim de semana, minha linda!
    Beijos mil, Martha

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...