sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Poema Seco









Prefiro molhar-me de lágrimas
A viver uma vida seca,
Onde os sonhos se esfarelam
Sob o toque do martelo.

Prefiro essa rua vazia, essa casa,
Prefiro dormir sobre as pedras
E sonhar com as asas
A vertigem do voo que medra,
E perpetra a queda.

Prefiro guardar as palavras,
Usar as palavras, 
Brincar com as palavras,
Prefiro drenar meu rio de mágoas
E achar, lá no fundo, 
A paz procurada.

Prefiro uma alma lavada,
Prefiro a alegria silenciosa
E domesticada...
Não gosto, não quero jamais
A ostentação patética
Daquilo que não sou...

Meu poema é seco,
Mas sei de onde eu vim,
Escolho aonde vou.

2 comentários:

  1. Ser dono do seu próprio destino é algo para poucos, realmente =)

    beijos

    ResponderExcluir
  2. Ana, minha doce menina,
    vc mudou algo aki? tá diferente...
    Que poesia emocionante! eu também prefiro a alma lavada e saber onde vou. Muito bom.
    Feliz fim de semana, minha linda!
    Beijos mil, Martha

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

A Minha Vida

Parada na esquina De pé,  Mas cansada, A bolsa jogada nos ombros Pronta para a viagem Há tempos planejada. And...