quinta-feira, 1 de novembro de 2012

O FIM - TAGORE





O FIM


Já vou, mãe. É chegada a minha hora... Quando, na escuridão da madrugada solitária, estenderes teus braços buscando o teu menino, em tua cama, eu te direi: "Teu menino já não está..." Mãe, eu já vou.

Me converterei no ar delicado para acariciar-te; serei as ondas da água, em que te irás banhar, e te beijarei sem descanso. Nas noites de tempestade, quando a chuva sobre as telhas rumorejar, ouvirás meu sussurro, e meu riso voltará a brilhar com o relâmpago por tua janela aberta.

Se pensando em teu filho o sono te deixar, eu, das estrelas, cantarei: "Dorme, mãe. Dorme." Virei num raio de lua e me espalharei em tua cama e me acolherei em teu peito enquanto dormes. Me farei sonho, e me acolherei no mais fundo de teu descanso, e quando despertares sobressaltada e mirares ao redor, sairei voando como mariposa na escuridão.

Na grande festa de Puja, quando vierem brincar em tua casa as crianças vizinhas, fluirei eu diluído na música de uma flauta, e latirei com o cão todo dia em teu coração. Alguém virá da feira com presentes e perguntará: "E teu menino, irmã, onde está?" Mãe, e tu dirás: "Está na menina de meus olhos, está em meu corpo, está em minha alma."    


*                        *                             *                          *

Para meu sobrinho Ricardo - não te esqueci. Parabéns pelos 26 anos de idade que você teria completado ontem.



Foto: Como muito sabiamente disse minha prima Cristiane... ''Hoje seria dia de festa com aniversariante chegando atrasado.''
Exatamente assim, sempre nos fazendo esperar por ele, sempre nos compensando com muitos sorrisos.
Ah, meu irmão, impossível descrever a falta que você me faz. ♥

7 comentários:

  1. Ana, quem era Ricardo?

    Texto lindíssimo e todo coração.

    beijo da Lu

    ResponderExcluir
  2. Olá querida Ana !
    Adorei este texto ! Fiquei emocionada ... Sou muito sentimental e sensivel e este texto comoveu-me.
    Um beijo enorme de muito carinho e amizade.
    Anabela

    ResponderExcluir
  3. Olá!Boa noite!
    Ana...
    Pertinente escolha/homenagem... Tagore...
    ...assim como as estrelas que vão embora num fim de noite, rasgou céu e terra, como se tudo fosse apenas um sonho de criança, embarcou numa viagem sem volta...aqui ficou o incansável e imortal do sentimento puro e eterno...o amor de mãe....O adeus prevaleceu ...cumprida a sua missão...
    Fique bem!
    Obrigado!
    ótimo feriado!
    Beijos

    ResponderExcluir

  4. Puxa, Ana, fiquei emocionada. Seu sobrinho já era rapaz. Que perda dolorosa.
    O texto é lindo. Uma bela homenagem ao Ricardo.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Linda Reflexão.Homenagem ao querido.Tudo muito sensível,tocante,profundo
    Ana,seja quem for Força.Texto bem escolhido e inspirado.bjus\Flor*

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

A Minha Vida

Parada na esquina De pé,  Mas cansada, A bolsa jogada nos ombros Pronta para a viagem Há tempos planejada. And...