domingo, 4 de novembro de 2012

Amar é Viver



Não quis amar,
Sufocou dentro do peito
Todo o amor que tinha a dar,
E assim, por mais estranho,
Viu o peito esvaziar
E a vida, fenecer,
Murchar.

As estrelas se apagaram,
E o sol tornou-se gelo,
Que nunca mais quis brilhar.
O viver perdeu a graça
O sentido, a alegria,
E tornou-se o sacrifício
De chegar ao fim do dia.

No afã da economia
Fez a escolha arredia.
Ao querer selecionar...
Não notou que o amor só cresce
Quanto mais amor se dá,
Pois amar é viver,
E viver, é amar.

*

6 comentários:

  1. Se existe algo que não se pode economizar é o amor, sob pena de o sentimento adormecer, profundamente.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Vim conhecer-te, Ana!

    Li seus poemas, e são mesmo uma graça, do jeitinho da sua crônica. As imagens, então, qualquer hora vou pedir uma emprestada...rs...lindas obras da natureza, que Deus fez-nos o favor de criar e você, de fotografar!Um belo blog esse seu.

    Abraços!
    Graça

    ResponderExcluir
  3. Assino contigo Ana.Reflexiva para quem só pensa em ser importante sem nada compartilhar.Gostei da mensagem,Bjus\Flor*

    ResponderExcluir
  4. As vezes penso na frase de Cassia Eller...
    "... eu sou poeta e não aprendi amar..."

    Até mais Ana...

    ResponderExcluir
  5. Olá!Boa noite!
    Ana...lindos versos.
    faço minhas as palavras de William Shakespeare..."A vida não é eterna e tudo tem um prazo, nossas vontades mudam nas viradas do acaso, pois esta é uma questão ainda não resolvida: a vida faz o amor ou o amor que faz a vida?... "
    Obrigado!
    Ótima semana!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. E é mesmo assim, na essência mais pura e simples do existir... Amar é o primeiro e talvez o único sentido da vida...

    bjos

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Contas

Eram contas de um colar pesado, Sem brilho, um tanto funesto Que alguém usava em volta do pescoço Como uma forma de p...