domingo, 4 de novembro de 2012

Amar é Viver



Não quis amar,
Sufocou dentro do peito
Todo o amor que tinha a dar,
E assim, por mais estranho,
Viu o peito esvaziar
E a vida, fenecer,
Murchar.

As estrelas se apagaram,
E o sol tornou-se gelo,
Que nunca mais quis brilhar.
O viver perdeu a graça
O sentido, a alegria,
E tornou-se o sacrifício
De chegar ao fim do dia.

No afã da economia
Fez a escolha arredia.
Ao querer selecionar...
Não notou que o amor só cresce
Quanto mais amor se dá,
Pois amar é viver,
E viver, é amar.

*

6 comentários:

  1. Se existe algo que não se pode economizar é o amor, sob pena de o sentimento adormecer, profundamente.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Vim conhecer-te, Ana!

    Li seus poemas, e são mesmo uma graça, do jeitinho da sua crônica. As imagens, então, qualquer hora vou pedir uma emprestada...rs...lindas obras da natureza, que Deus fez-nos o favor de criar e você, de fotografar!Um belo blog esse seu.

    Abraços!
    Graça

    ResponderExcluir
  3. Assino contigo Ana.Reflexiva para quem só pensa em ser importante sem nada compartilhar.Gostei da mensagem,Bjus\Flor*

    ResponderExcluir
  4. As vezes penso na frase de Cassia Eller...
    "... eu sou poeta e não aprendi amar..."

    Até mais Ana...

    ResponderExcluir
  5. Olá!Boa noite!
    Ana...lindos versos.
    faço minhas as palavras de William Shakespeare..."A vida não é eterna e tudo tem um prazo, nossas vontades mudam nas viradas do acaso, pois esta é uma questão ainda não resolvida: a vida faz o amor ou o amor que faz a vida?... "
    Obrigado!
    Ótima semana!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. E é mesmo assim, na essência mais pura e simples do existir... Amar é o primeiro e talvez o único sentido da vida...

    bjos

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Ah, os Italianos! - Parte II

Pôr do sol em Florença... jamais esquecerei. Continuação do texto anterior LIXO – Quando fui jogar o lixo fora pela pri...