sexta-feira, 21 de junho de 2013

Minha Cidade





Minha Cidade


Minha cidade amanheceu,
Ainda se espreguiça entre as montanhas,
E as árvores
Penteiam as folhas com pentes de vento.
Os passarinhos
Anunciam o dia, e nem sabem
Da tensão que se esconde em cada esquina,
Do mal que se espalha, pouco a pouco,
Abrindo caminhos de pesadelos
Entre os sonhos
Ainda dormentes.

No ar, rasgando a paz,
Uma certa apreensão,
Um pequeno medo crescendo em meu coração,
E eu rezo, apenas rezo,
Para que minha cidade não seja quebrada,
Para que a frustração não se arrebente
Ao encontro dos monumentos
Praças, parques, lojas, carros,
Cidadãos, asfalto... nosso chão!

E que não fique na história
De minha histórica cidade
Uma outra  história, de ódio,
Ignorância e atrocidade!





Hoje Petrópolis fechará suas portas mais cedo. As lojas e serviços de transporte encerrarão suas atividades às três horas da tarde, para que as pessoas tenham tempo de ir para casa se proteger das possíveis atrocidades e atos de vandalismo que certamente ocorrerão. Temo pelos jovens bem intencionados que estarão participando deste evento - entre eles, meus sobrinhos. Temo pelos comerciantes da cidade, nossos amigos e conhecidos. Temo pelos monumentos históricos, e até mesmo pelos cães abandonados que dormem nas ruas.


E mais ainda, eu temo pelo que pode acontecer a este país.


9 comentários:

  1. Que tudo ocorra na maior paz, como deve ser o movimento! Tua cidade é linda demais! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Belo poema! Creio que o movimento Passe Livre seja um ato legítimo de liberdade do povo brasileiro, contra a corrupção. Não vejo e inexistem motivos, para depredarem a bela e histórica cidade de Petrópolis. Cabem as autoridades policiais exercerem seu trabalho sem violência e com atenção para reprimirem os vândalos. Fraterno Abraço, MR.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Ana, linda a sua cidade, mas o Brasil inteiro também é lindo, pena que está sendo assim, com violência, mas não se faz um "omelete sem quebrar os ovos",isso que está aí, esse quadro ruim que vemos é talvez necessário, tenho meus netos, você, seus sobrinhos, o futuro se faz hoje, deveria ter sido feito ontem, fui do tempo de estudantes sendo pisoteados pelos cavalos do exército, corri muito para não ser esmagada pelos lindos cavalos e seus soldados mandados pela ditadura militar, enfim o Brasil está agora muito mais revoltado e não se sabe até que ponto isso irá, mas na verdade torço por mudanças, pena que é desse jeito, mas ainda bem que os desordeiros são minoria, ainda bem!
    Boa sorte em sua cidade, espero de coração que não haja violências!
    Abraços minha amiga!

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Ana

    Essa blogada merece ficar o fim de semana inteiro, porque é bela. Embora nas entrelinhas traga receios.

    Tua cidade é muito linda. Eu fiquei encantada de ver essas imagens.Um dia (ainda) irei a Petrópolis.

    É lamentável toda essa depredação que estamos vendo nos estados e nas cidades. Triste demais.

    Também temo pelo que possa acontecer ao nosso país e também pelo derramento de sangue que já começou.
    Que Deus tenha piedade de nós!

    abraço minha amiga querida!
    :(

    ResponderExcluir
  5. Lindas palavras Ana. Suaves mas que representam a voz de uma multidão =)

    ResponderExcluir
  6. Aqui em Araruama também será (já deve ter iniciado...) hoje! As perspectivas são as piores... BJks Tetê

    ResponderExcluir
  7. Boa noite minha querida !
    "Eu vou ficar nesta cidade...não vou voltar pro sertão...pois vejo vir vindo no vento...cheiro de nova estação. Já faz tempo eu vi você na rua cabelo ao vento gente jovem reunida...Ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais..."
    (Elis Regina)
    bjs de boa noite !

    ResponderExcluir
  8. Ana, minha irmã teve que fechar a loja à tarde, porque avisaram que haveria tumulto na região. De um lado, a beleza e a esperança da juventude. De outro, o vandalismo assustador que nos coloca nas manchetes do mundo. Turistas se escondendo e jogadores sendo furtados em hotéis de luxo. Não fico feliz com o que vejo. Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Ana, estamos vivendo uma história que ainda não sabemos dos bons resultados. Fico contente com a nossa Petrópolis que se mantém intacta da violência que vem ameaçando a tranquilidade. Entre pedras e bombas, devo dizer que tu és mais que uma poetisa. Estando longe, sinto assim, que você tem a força de uma guerreira não somente entre o lírio da poesia. Gostaria de dizer mais, justificar os meus últimos ataques de esquerda.
    Um brande abraço de respeito e amizade.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Metáfora

Às vezes, há ainda uma  corrente Muito fina e cristalina Que quer correr para o mar, Ainda há um par de pernas Que...