sexta-feira, 14 de junho de 2013

Adeus, Bonsai!





-Posso fazer um canteiro ali atrás, Dona Ana?
-Pode sim... mas vamos ter que comprar as plantas primeiro. Não tem nada aqui.

Meu novo jardineiro, entusiasmado, respondeu:

-Depois a senhora compra. Pode deixar comigo, vou arranjar umas plantinhas por aqui mesmo, só para não deixar o canteiro vazio. Posso usar essas plantinhas aqui nesses vasos?

Havia alguns vasos de margaridas já murchas que eu compro para enfeitar o peitoril das janelas, e quando as flores morrem, troco por outras. Perto delas, estava também o meu bonsai, uma jabuticabeira que tenho há muitos anos, e que andava um tanto mirradinha ultimamente. Acho que eu não sei como cuidar de bonsais. Mas não pensei que ele a incluiria em seu projeto de jardinagem.

Concordei com ele, e fui cuidar de minhas obrigações caseiras.

Ao final da tarde, quando fui lá fora ver o resultado do trabalho, achei um canteiro bastante eclético, com diversas espécies de plantas, todas misturadas. Entre elas, o meu bonsai.

Ele plantou o meu bonsai!

Fiquei com pena de decepcioná-lo, ao responder a sua pergunta "Gostou?" Eu sorri entre os dentes: "É... ficou bom!" Enquanto isso, pensava na minha ex-bonsai-jabuticabeira. 

Depois que ele se foi, fiquei pensando melhor, e achei que com certeza, a árvore preferia estar plantada no chão. Condenada a viver em um espaço limitado e anti-natural,estando  destinada a ser uma árvore-anã reprimida para o resto de sua existência, a minha jabuticabeira me agradeceu - e principalmente, ao meu jardineiro. Confesso que eu mesma já tinha pensado em plantá-la no chão. As plantas de porte grande dentro de vasos me angustiam quase tanto quanto os pássaros presos em gaiolas e os cães acorrentados.

Ontem lembrei-me dela, e fui lá no fundo do quintal para ver como ela estava passando; folhinhas novas estão brotando, e parece que ela está mais calma, menos ansiosa. Trocamos um olhar silencioso, e em seguida, ela me falou das jabuticabas que estava planejando para o futuro. Pousados no muro acima dela, os pássaros aguardam, pacientemente.



7 comentários:

  1. Pois é como diz a Teresa um Bonsai em liberdade e acompanhado deve sentir-se
    mais feliz. Mas gostei tanto de ler o texto.
    Bom fim de semana.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  2. Nada como a LIBERDADE, até para o desenvolvimento de um bonsai...
    Óptimo texto, como que ao correr da pena.

    um beijo.

    ResponderExcluir
  3. Está muito belo seu blog. Viu como a atitude do jardineiro provocou reflexões ? Nossa, estamos sempre a descobrir que tudo pode ser diferente do que planejamos e que a mudança é para melhor. Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana
    Sabe que eu nunca havia pensado sobre esse aspecto, um bonsai é mesmo que um pássaro na gaiola. Gostei.
    Bjux

    ResponderExcluir
  5. Ana, que blogada bonita!
    Eu amo jardins e canteiros, mas como moro em apartamento eu cultivo somente canteiros.

    Mas olha, seu jardineiro deu vazão ao bonsai. Creio que esta pequena árvore milenar vai crescer mais alegre agora, enquanto sua jabuticabeira namora os pássaros.

    Mostra o jardim pra gente ver o bonsai e as flores, vai rsrs...

    Teu blog tá um sonho de lindo e ficou melhor a navegação.

    bacios

    ResponderExcluir
  6. Gentem... ele também arrancou as maria-sem-vergonhas que demoraram anos para lastrar. Disse que pensou que era mato!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

REFLEXÃO

Já muito andei sem enxergar, sem ver, O que me fez e me desfez, a fome... "Ana" é o nome que alguém me deu, M...