terça-feira, 18 de junho de 2013

Essa Causa é Válida?





Esse Causa é Válida?



Antes de seguir uma liderança e abraçar uma causa, acho que todo mundo deve fazer a si mesmo as seguintes perguntas:

-Quem são os líderes, e quais são os seus interesses?

-Quem está por trás daqueles que lideram a causa?

-A causa é real e justa? As reivindicações são possíveis de serem obtidas, ou estarei clamando por uma causa impossível?

-Existem causas mais urgentes do que esta, pelas quais ninguém está lutando? E se elas existem, por que até agora ninguém se mobilizou por elas? Quais os motivos para se lutar por esta causa, especificamente, quando há tantas outras mais urgentes?

-Qual o contexto no qual esta ‘luta’ está inserida? Há eleições se aproximando, ou é do interesse de algum partido político que o governo vigente seja desmoralizado?

-O que há nesta causa que vá trazer algum benefício real para mim e para o meu país? Acredito, realmente, nesta causa, ou participo a fim de ajudar meus amigos, ‘curtir uma onda’ , aparecer na mídia ou entrar para a história? Sei, realmente, pelo quê eu estou protestando/lutando?

-Em quem eu votei nas últimas eleições, qual foi o meu critério de escolha, e em quem estão dizendo para que eu vote nas próximas?

-Estou sendo manipulado por alguém? Não? Tenho certeza disso?

Eu jamais lutaria por uma causa cujos líderes e reais objetivos eu desconhecesse. É preciso olhar em volta, e mesmo que o motivo dos protestos pareça justo, será que eles são reais, ou escondem algum outro motivo? Muitas vezes, aqueles que se dizem nossos defensores, estão apenas nos usando. É preciso ter consciência dos próprios atos. É preciso saber pelo quê se luta, e os métodos corretos para se chegar até os nossos objetivos -e se eles são realmente nossos, ou se somos apenas marionetes nas mãos de pessoas que estão sendo pagas para causar tumultos.

O Brasil sempre enfrentou muitas dificuldades em vários outros setores, como por exemplo, a saúde. Todos os dias, milhares de pessoas morrem nas filas do SUS sem atendimento, ou vítimas de erros médicos. Por que ninguém jamais defendeu esta causa? Todos os anos, nas cidades serranas e em outras cidades, as chuvas matam centenas de pessoas que constroem suas casas nas encostas, e nada é feito, e a mesma história continua sendo repetida. Por que ninguém se levanta por isso? Milhares de crianças abandonadas continuam espalhadas sem qualquer atenção pelas calçadas do país, transformando-se em bandidos por falta de esperança e de alguém que se interesse por elas. Por que não há, nem nunca houve nenhuma passeata a favor delas? A educação chegou a níveis extremos de descaso e incompetência, e por que será que eu nunca vi nenhuma passeata sendo feita por causa dela? A corrupção política, os mensalões, as falcatruas, continuam sendo feitas sem nenhum disfarce. Por que não se faz nada para impedi-las?

Por que, de repente, vinte centavos de aumento nas passagens tornou-se o estopim de uma bomba, aceso pelas redes sociais, uma bomba que ninguém sabe quando exatamente irá explodir, onde, e por quê? Será que de repente, de um dia para o outro, as pessoas simplesmente ficaram de saco cheio, e resolveram se conscientizar de que estavam sendo feitas de otárias? Por que exatamente agora, e não antes ou mais tarde?

Quem são os líderes, como eles agem, quais seus interesses reais, o que eles pretendem?

Enquanto estas perguntas não forem respondidas, continuarei duvidando de toda essa onda de protestos, e acreditando que ela acontece por interesses escusos, manipulação pura, e não por uma conscientização válida e real da população. E sem conscientização, nada irá muito longe, nada de bom será alcançado, e assim que os objetivos dos que estão liderando essas passeatas e protestos for atingido, a “Grande Causa” perderá força, e cada um voltará para o seu quadradinho, continuando a levar suas vidinhas.



Você luta pelo quê? Por quem? Quem são os seus líderes? Sabe a resposta? Se não sabe, fique em casa.


4 comentários:

  1. Boa noite Ana, o aumento das passagens foi o primeiro passo, quem sabe agora se façam ouvir, não tanto aos governantes, mas ao povo em geral,embora infiltrem baderneiros entre os que de fato estão fartos de tantos descalabros, não é mesmo?
    Torço pela verdadeira democracia!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Ana, penso como você. Badernas, quebra de lojas, saques, não são meios usados para se reivindicar alguma coisa. Insurgir-se contra a copa??? Isso deveria ter sido feito em época oportuna, não agora. Sou favorável às manifestações, um direito, mas com propósitos definidos, anunciados, com solicitações devidamente formalizadas. Com a apresentação de uma liderança e uma discussão prévia, para que não existam dúvidas quanto à manipulação e aos interesses escusos. Não sou de seguir a procissão se desconheço o santo que está sendo venerado. Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Ana as coisas não estão boa em todos os sentidos que se refira retorno dos recursos! Eu acho que o tempo é oportuno. O desconforto é tal que a massa aderiu o movimento com as duas mãos e o pouquinho que resta de coração, por que o resto do corpo é trapo.
    Seja como for o surgir deste panelaço, é bem vindo!
    Imagina você o dinheiro que consumiram o STF para nada. Ou melhor, brincaram com o nosso sorriso!

    ResponderExcluir
  4. Violência gera violência, e uma das grandes violências é o descaso geral, principalmente na área da educação. Como ter um povo educado, apto e com dignidade, se a dignidade é desconstruída dia após dia.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

REFLEXÃO

Já muito andei sem enxergar, sem ver, O que me fez e me desfez, a fome... "Ana" é o nome que alguém me deu, M...