quarta-feira, 19 de junho de 2013

MOMENTOS BRANCOS




MOMENTOS BRANCOS

Ah, esses momentos brancos
Nos quais a poesia se ajeita
E relaxa sobre os flancos
Das palavras, que descansam!...

E vem e vai o sentimento
A procurar por certas tintas
Que o revelem, que o traduzam,
Sobre o papel seco e vazio
Da folha branca, que o rejeita!

E um poema se espreme
Rolando pela folha muda...
Senil e frágil criatura,
Nascida de um deus sem paraíso...

E a lágrima vira um sorriso,
Em homenagem ao sentimento
Que mesmo sendo sofrimento,
Revela-se, como é preciso...


2 comentários:

  1. Folha branca revela a paz necessária para escrever o lindo poema, foi o caso, poema lindo como a cor branca que encanta.

    ag

    ResponderExcluir
  2. Eita Lelê, que poema é esse?
    Imagem que revigora diante dos dias em que vivemos, e versos brancos, que viajam livres sem rimas revelando a beleza sutil do TEU lirismo, Ana!

    Lindo, lindo!

    bacios caríssima

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

O que Tem na Sua Playlist? Uma Interação

Inspirada por um comentário de paulo Bratz a um de meus posts, que fala sobre um aparelho de som que comprei na Black Friday,...